Ministério da Cultura grego/AP
Ministério da Cultura grego/AP

Arqueólogos encontram indícios de que o homem já navegava há 130 mil anos

Ferramentas da Idade da Pedra foram achadas na ilha grega de Creta, berço da civilização minoica

Efe

03 Janeiro 2011 | 17h54

ATENAS - Arqueólogos gregos e americanos descobriram na ilha grega de Creta indícios de que o homem já cruzava os mares há 130 mil anos, muito antes do que era estimado, informou nesta segunda-feira, 3, o Ministério da Cultura do país.

Os cientistas encontraram perto das localidades de Plakias e Preveli, no sudeste da ilha, ferramentas da Idade da Pedra. Trata-se de machados no estilo "Acheulean", relacionados ao Homo heidelbergensis e ao Homo erectus, dois "antepassados" do atual Homo sapiens sapiens.

Essas ferramentas têm, pelo menos, 130 mil anos, mas também poderiam chegar aos 700 mil anos, destaca o ministério grego em comunicado.

Apesar da contínua pesquisa da pré-história em Creta, berço da civilização minoica, até pouco tempo não havia nem provas de que ela tinha sido habitada antes do período Neolítico (7.000-3.000 a.C.).

Segundo o ministério, as descobertas são "o indício mais antigo de navegação marítima". "Os resultados não só demonstram a existência de viagens por mar no Mediterrâneo milhares de anos antes do que sabíamos, mas também alteram a avaliação das habilidades do homem", acrescenta o comunicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.