Arthur, de 4 meses, será operado hoje no Incor (SP)

Arthur Blauth Santos, de 4 meses, que espera por um transplante de coração desde o nascimento para sobreviver, vai hoje passar por uma cirurgia de alto risco no Instituto do Coração (Incor), em São Paulo. Com o nome de correção parcial de hipoplasia do coração esquerdo, a operação é a tentativa de fazer com que a distribuição do fluxo sanguíneo no organismo do bebê seja equilibrada - hoje, o cérebro e o coração recebem menos sangue que o normal. Para isso, a equipe médica vai reconstruir o arco aórtico (a aorta é a principal artéria que nasce do coração). As artérias pulmonares vão ser também reconstituídas para se adaptarem ao novo fluxo. "O risco é altíssimo. Mas, nesse caso, vale mais a pena arriscar do que esperar por um transplante", avalia Miguel Barbero Marcial, diretor da Unidade Cirúrgica Pediátrica do Incor. "Em quatro meses, só apareceram doadores com peso incompatível." Arthur está com 4,2 quilos. O doador precisa pesar cerca de 10 quilos. Até os dois meses de idade, ele poderia ter recebido o coração de um bebê anencéfalo - anomalia que impede a formação do cérebro. A cirurgia de hoje começaria às 7 horas e a previsão é que dure dez horas. De acordo com Barbero, é cedo para avaliar se a cirurgia fará com que o garoto ainda precise de um transplante. "Estou com muita esperança. Só o fato de estar em boas condições para se submeter à operação já é ótimo", diz Rafael Paim, pai do garoto.

Agencia Estado,

17 de março de 2006 | 08h48

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.