Aspirina ajuda a prevenir lesões hepáticas, afirma estudo

Cientistas descobriram que remédio pode impedir lesões no fígado devido a efeitos colaterais de remédios

Efe,

26 de janeiro de 2009 | 21h51

A aspirina, além de ser um analgésico cujos efeitos anticoagulantes dificultam doenças cardiovasculares, também ajuda a prevenir lesões hepáticas, afirma um estudo divulgado nesta segunda-feira, 26, pela revista Journal of Clinical Investigation.   Cientistas da Universidade de Yale descobriram que uma simples aspirina pode impedir lesões no fígado de milhões de pessoas que sofrem com os efeitos colaterais de remédios, assim como de outras doenças ligadas ao consumo de álcool e à obesidade.   Os pesquisadores indicaram que, em testes realizados em ratos, a aspirina reduziu a taxa de mortalidade causada por overdose de acetaminofeno, também conhecido como paracetamol.   O estudo demonstrou um efeito similar ao da aspirina em um tipo de moléculas conhecidas como anti-TLR e que bloqueiam receptores que ativam a inflamação.   Ao ser comprovado um melhor resultado contra a inflamação produzida por uma lesão, o estudo sugere que a aspirina ajuda a prevenir e tratar lesões hepáticas causadas por agentes não infecciosos, disse Wajahat Mehal, professor do Departamento de Imunobiologia da Escola de Medicina de Yale.   O cientista acrescentou que "muitos agentes, como as drogas e o álcool, causam lesões hepáticas", e explicou que foram descobertas "duas formas de bloquear o processo responsável por essas lesões".   Mehal acrescentou que a estratégia agora é "administrar a aspirina diariamente para impedir as lesões hepáticas, e, se estas ocorrerem, recorrer aos anti-TLR para tratá-las".

Tudo o que sabemos sobre:
aspirinasaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.