Assistir muita televisão influencia no desenvolvimento de doenças

Estilo de vida sedentário aumenta risco de desenvolver diabetes e doenças cardiovasculares

Reuters

15 Junho 2011 | 15h17

NEW YORK - As pessoas que passam mais horas na frente da televisão correm mais risco de morrer precocemente, ou desenvolver diabetes e doenças cardiovasculares, sugere um novo estudo.

"A mensagem é simples," disse o autor do estudo Dr. Frank Hu, da Escola de Saúde Pública de Harvard para a Agência Reuters. "Diminuir o tempo que se assiste TV é uma forma importante de reduzir o comportamento sedentário e diminuir o risco de diabetes e doenças cardiovasculares."

Todos os dias, americanos passam cerca de cinco horas assistindo televisão enquanto australianos e parte dos europeus passam de 3,5 a 4 horas.

Pessoas que se sentam em frente a televisão não apenas não se exercitam como são mais propensas a comer alimentos menos saudáveis, explicou Hu. "A combinação do estilo de vida sedentário, dieta não saudável e obesidade criam o 'cenário ideal' para o diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares."

Este não é o primeiro estudo que associa o tempo que se passa na frente da televisão com efeitos negativos - muitos estudos encontraram forte evidências ligadas à obesidade, e uma pesquisa de 2007 descobriu que mais tempo dedicado à televisão era associado com o aumento na pressão arterial em crianças obesas. Outro estudo do mesmo ano revelou que crianças acima do peso que assistem propagandas de comida tendem a dobrar a quantidade do que consome.

Para o novo estudo, publicado na revista Journal of the American Medical Association, Hu e sua equipe revisaram pesquisas anteriores que estudaram a ligação entre assistir televisão e algumas doenças. No fim, a análise deles incluiu oito estudos que acompanharam mais de 200 mil pessoas durante 7 a 10 anos, em média.

Hu e equipe descobriram que a cada duas horas na frente da televisão, o risco de desenvolver diabetes aumenta em 20%, enquanto o risco de desenvolver doenças do coração aumentam em 15%. O risco de morte aumenta 13%.

Baseando-se nestes resultados, os pesquisadores estimaram que, entre um grupo de 100 mil pessoas, reduzir o tempo na frente da televisão em duas horas, poderia prevenir 176 novos casos de diabetes, 38 casos de doenças cardiovasculares fatais e 104 mortes prematura todos os anos.

Todos os estudos analisados se asseguraram que os participantes não apresentava doenças crônicas, isso porque pessoas já doentes tendem a passar mais tempo na frente da televisão e desenvolver diabetes, doenças do coração e morrer precocemente. Mas Hu e sua equipe alertam, é possível que algumas pessoas tenham algumas doenças não detectadas durante os estudos, o que poderia comprometer os resultados.

O estudo não pode provar que assistir televisão, por assim dizer, aumenta o risco de desenvolver doenças. Nem pode identificar, exatamente, sobre como isso pode influenciar no risco.

"É verdade que as pessoas que assistem bastante televisão se diferem daquelas que assistem menos, principalmente em termos de dieta e níveis de atividade física realizada," diz Hu. Pessoas que assistem a muita televisão comem mais junk food, ele explica, mas dietas pouco saudáveis ou pouca atividade física são também consequências do ato de assistir televisão por tempo prolongado, isso explica alguns efeitos adversos do comportamento sedentário.

"Tenho certeza que todos nós sem perceber perdemos noites deitados no sofá, em frente a televisão, comendo salgadinhos e biscoitos e consumindo bebidas com açúcar e álcool", disse Maureen Talbot, uma enfermeira da Fundação britânica do Coração, que não foi envolvida no estudo, "mas é importante que isto não se torne uma atividade regular."

"Nós devemos tentar ser seletivos sobre quanto tempo passamos assistindo televisão, e tentar ser mais ativos fisicamente," disse Talbot. "Precisamos de 30 minutos de atividade física pelo menos cinco dias por semana para manter nosso coração saudável, então porque não fazer uma caminhada depois do trabalho, entrar em um equipe esportiva. É mais recompensador que ficar olhando para uma caixa."

Mais conteúdo sobre:
televisão diabestes coração sedentarismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.