Sergei Remezov/AP
Sergei Remezov/AP

Astronautas da ISS retornam à Terra

A bordo da nave Soyuz TMA-05M, Sunita Williams, Akihiko Hoshide e Yuri Malenchenko deixaram a Estação Espacial Internacional e foram substituidos por outros três cosmonautas

Efe, Efe

19 Novembro 2012 | 16h00

MOSCOU - Três astronautas, um japonês, uma americana e um russo, retornaram nesta segunda, 19, à Terra a bordo da nave espacial Soyuz TMA-05M, informou o Centro de Controle de Voos da Rússia.

 

A cápsula de descida aterrissou na hora e local previstos, nas estepes do Cazaquistão, acompanhada por três aviões e 12 helicópteros. Pouco depois as equipes de resgate abriram a escotilha e ajudaram os três cosmonautas a deixar a cápsula. "A tripulação suportou bem o descida e a aterrissagem, os cosmonautas estão de bom humor", informou o comentarista do CCVE.

 

A bordo da Soyuz TMA-05M retornaram a americana Sunita Williams, o japonês Akihiko Hoshide e o comandante da missão, o russo Yuri Malenchenko. Na Estação Espacial Internacional (ISS) foram substituídos pelos russos Oleg Novitski e Evgeni Tarelkin e o astronauta Kewin Ford, que partiram da Terra no dia 23 de outubro.

 

Malénchenko, Williams e Hoshide trabalharam a bordo da ISS desde julho passado.

Durante sua missão foi executada uma caminhada espacial de acordo com o programa russo e outras duas pelo americano, e foram realizados mais de 40 experimentos científicos.

 

Além disso, foram recebidas as naves automáticas russas Progress, desacoplada a nave europeia ATV-3 "Edoardo Amaldi", e o acoplamento e desacoplamento do cargueiro privado americano Dragon. Também foi recebida a nave pilotada Soyuz TMA-06M, a bordo da qual chegaram Novitski, Tarelkin e Ford.

 

No dia 19 de dezembro a partir da base de Baikonur (Cazaquistão) partirá rumo à ISS uma nova expedição. As naves russas Soyuz são o único meio de transporte de astronautas à ISS desde que terminou o uso das naves americanas e vão continuar sendo pelo menos até 2016.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.