Astronautas reparam painéis solares em caminhada espacial

Nasa considerou última caminhada arriscada porque poderia matar americano eletrocutado

Efe,

03 de novembro de 2007 | 16h05

Os astronautas americanos Scott Parazynski e Douglas Wheelock fizeram neste sábado, 3, reparos nos painéis solares da Estação Espacial Internacional (ISS) durante uma arriscada caminhada espacial, improvisada depois da descoberta do defeito.   Parazynski cortou os cabos que romperam os painéis em dois pontos e colocou algumas presilhas para impedir que novos danos ocorram. Os buracos apareceram na terça-feira, enquanto a tripulação do ônibus espacial Discovery estendia os painéis.   Após identificarem o problema, os cientistas da Nasa (agência espacial americana) tiveram que trabalhar imediatamente em uma solução para poder abrir totalmente os painéis, pois não seria possível continuar a construção da ISS da maneira como estavam, estendidos em apenas dois terços.   O trabalho de Parazynski e Wheelock, que supervisionava a operação do lado de fora do Discovery, foi um sucesso, fazendo com que os astronautas dentro da Estação pudessem estender totalmente os painéis.   A Nasa considerou a caminhada especialmente perigosa porque Parazynski tinha que trabalhar em um ponto muito distante da escotilha de entrada da ISS, na extremidade de um braço robótico de quase 30 metros de comprimento.   Além disso, existia a possibilidade de o astronauta receber uma descarga elétrica, pois uma carga de mais de 100 volts passa pelos painéis.   Para evitá-lo, Parazynski teve que cobrir todas as partes de metal de seu traje espacial e suas ferramentas com várias camadas de fita isolante.   A caminhada começou cerca de meia hora antes da hora prevista e os astronautas permaneceram fora da plataforma orbital por mais de seis horas e meia.   Esta foi a quarta e última caminhada espacial durante a atual missão da nave americana, acoplada desde 25 de outubro à ISS.   Os painéis solares são peças cruciais para o processo de construção da Estação, porque sem eles não haveria energia suficiente para novos equipamentos, como o laboratório europeu que chegará em dezembro a bordo da nave Atlantis.   Além disso, os danos nos painéis poderiam se agravar com o tempo e a Nasa poderia ter que soltar toda a peça no espaço, segundo alertou a agência.   O Discovery deve retornar à Terra no dia 7 de novembro.

Tudo o que sabemos sobre:
ISSDiscovery

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.