Atletas de países com Ebola não participarão de Jogos na China

Decisão vale para modalidades de combate e natação; outros competidores serão submetidos a testes de temperatura e exames 

O Estado de S. Paulo

15 Agosto 2014 | 16h56

Alguns atletas de países afetados pelo vírus Ebola não poderão participar da 2ª edição Jogos Olímpicos da Juventude, que começam no sábado, em Nanjing, na China, anunciou o Comitê Olímpico Internacional e o organizador dos jogos. 

Decidiu-se que "os atletas provenientes de regiões infectadas não podem participar nas disciplinas de combate (dois atletas) e natação (uma pessoa)", indica a declaração assinada pelo comitê. Além disso, atletas de países afetados serão submetidos a testes de temperatura e exames físicos diariamente durante as duas semanas de competição.

"Lamentamos que por este problema alguns atletas jovens sofram duplamente, pela angústia causada pela epidemia em seus países de origem e também por não participarem dos Jogos", indica o texto publicado nesta sexta-feira. 

De acordo com o site dos Jogos, participam 25 atletas que vêm dos quatro países mais afetados pelo Ebola: Serra Leoa, Libéria, Guiné e Nigéria. A equipe de Serra Leoa concorre com seis atletas. Um no levantamento de peso, quatro jogadores de vôlei de praia e um nadador de 17 anos, Saidu Kamara. 

A equipe de Guiné foi para a China com quatro atletas, incluindo o nadador Alhoussene Sylla e o judoca Mamadama Bangoura.  O nadador Momodou Sombai, de 15 anos é um dos dois concorrentes da Libéria, enquanto a Nigéria possui a maior delegação entre os quatro países, 13 atletas, incluindo a lutadora Bose Samuel, de 16 anos. 

Mais conteúdo sobre:
Ebola África Jogos Olímpicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.