Aumenta número de casos de gripe A resistentes a Tamiflu

OMS afirma que remédio antiviral se mostra ineficiente em pacientes debilitados por doenças sanguíneas

Efe,

03 Dezembro 2009 | 09h27

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta quinta-feira, 3, que os casos de vírus da gripe A resistentes ao antiviral oseltamivir aumentaram de 57 para 96 nas últimas duas semanas, mas apontou que "não há provas de que isto constitua um perigo para a saúde pública".

 

Veja também:

linkEUA reavaliarão políticas após falta de vacinas contra gripe A

linkMortes por gripe A triplicam na China em duas semanas

linkBrasil vai vacinar idosos, grávidas e crianças

 

Cerca de um terço destes casos foram registrados em pacientes com seus sistemas imunológicos muito debilitados por doenças sanguíneas, por tratamento como quimioterapia ou pós-transplantes, acrescentou a OMS, em um documento divulgado em seu site.

 

A nota afirma que a OMS foi informada sobre dois recentes focos de pacientes infectados com o vírus A(H1N1) resistente ao oseltamivir - substância comercializada com o nome de Tamiflu - no País de Gales (Reino Unido) e no estado americano da Carolina do Norte.

 

Em ambos os casos, os focos foram registrados em uma zona determinada de um hospital e em pacientes com severas imunodeficiências, e há suspeitas de que houve transmissão do vírus resistente entre pacientes, acrescentou.

 

O foco em Gales, detectado no fim outubro e que afetou oito pacientes, não causou mortes, mas o nos Estados Unidos, detectado entre outubro e novembro, matou três dos quatro pacientes afetados.

 

A OMS recomenda seguir vigiando o desenvolvimento destes vírus resistentes ao oseltamivir para ver se ocorrem mudanças em sua transmissão e malignidade.

Mais conteúdo sobre:
gripe A Tamiflu H1N1 OMS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.