Aumenta o número de distúrbios alimentares na América Latina

Nove em dez pessoas com problema são mulheres, maioria anoréxica; evento nos EUA discute tema

Efe

21 Janeiro 2011 | 19h41

MIAMI - Os casos de distúrbios alimentares na América Latina aumentaram na última década, revelaram especialistas que participam de um seminário sobre o tema em Miami (EUA).

Do evento "Sou bonita, livre de preocupações relacionadas com a comida e meu corpo", participaram 12 especialistas de Colômbia, Venezuela, El Salvador e Estados Unidos para trocar conhecimentos e apresentar testemunhos de pacientes com o objetivo de identificar novos e melhores tratamentos.

Atualmente, nove em cada dez pessoas que apresentam distúrbios alimentares na América Latina são mulheres. "O tema está tomando grandes níveis e, inclusive, supera os EUA", afirmou Claudia Pimentel, do Centro Oliver Pyatt.

Ela disse que a anorexia é o principal transtorno alimentar nos países da região. A maior recomendação dos especialistas é que os pais ajudem a identificar o problema de suas filhas o mais rápido possível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.