Aumenta o número de transplantes de órgãos no Brasil

De janeiro a julho foram realizadas 3.842 cirurgias de órgãos sólidos, 3,8% a mais do que no mesmo período do ano passado.

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

25 de setembro de 2013 | 17h41

BRASÍLIA - O número de transplantes de órgãos sólidos (coração, fígado, pâncreas, rim e pulmão) realizados no primeiro semestre deste ano aumentou em relação ao mesmo período de 2012. De janeiro a julho, foram realizadas 3.842 cirurgias, 3,8% a mais do que no ano passado. Já os transplantes de medula óssea cresceram 13%. Os números foram divulgados ontem, durante o lançamento da campanha deste ano para a captação de órgãos.

O presidente da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, José Medina Pestana, afirma que o desafio do País é aprimorar a logística para captação de órgãos, corrigir a disparidades regionais, que já foram maiores, mas ainda estão presentes.

Atualmente, um brasileiros espera cerca de dois anos para fazer o transplante de coração e o de rim, entre 4 e 5. A fila de córnea, em alguns lugares do País foi zerada: praticamente não há espera entre a indicação e a realização da cirurgia em Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Distrito Federal. Medina afirma que o feito não será alcançado para órgãos sólidos. "Ela nunca será zerada, porque, diante do envelhecimento da população, há um aumento da demanda. E uma tendência na redução de mortes em pessoas jovens", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
transplanteórgãosfila

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.