Aumento de 45% nos casos de catapora no DF já era previsto, diz pneumologista

De janeiro a outubro de 2009, foram contabilizados 3,5 mil casos; este ano, já são 5,06 mil

Agência Brasil

05 Outubro 2010 | 15h35

BRASÍLIA - A Secretaria da Saúde do Distrito Federal registrou um aumento de quase 45% na incidência de catapora em 2010. De janeiro a outubro de 2009, foram contabilizados 3,5 mil casos, enquanto este ano já são 5,06 mil.

O chefe do Núcleo de Doenças Imunopreveníveis da secretaria, Ricardo Marins, afirma que a elevação é normal e já era prevista. “Esse é um comportamento habitual da doença, por ela ser cíclica e sazonal. Isso significa que a intensidade cresce a cada dois ou três anos, entre os meses de agosto e novembro”, explica o pneumologista. Segundo Marins, 11 mil seria um número preocupante de casos.

A vacina contra a catapora, também chamada de varicela, não é oferecida na rede pública. De acordo com o especialista, isso se deve à prioridade dada a outras doenças que têm um impacto maior na população. “Ao longo dos anos, ela provocou um número pequeno de internações e óbitos, se comparada a pneumonia e meningite, por exemplo”, acrescenta.

A cidade do DF com maior incidência de catapora até o momento é São Sebastião, que registrou 400 casos este ano. De acordo com Marins, as regiões que apresentam um nível socioeconômico mais baixo são as mais atingidas.

O pneumologista orienta que as pessoas infectadas sejam afastadas do convívio social por pelo menos uma semana, para evitar que transmitam a doença. “Também é preciso manter um nível adequado de higiene”, alerta.

A catapora é uma doença contagiosa causada pelo vírus varicela-zoster, que atinge principalmente crianças de 1 a 4 anos. O contágio ocorre pelo ar ou pelo contato direto com as lesões. Os sintomas incluem febre, dor muscular, coceira e pequenas bolhas espalhadas pelo corpo.

Mais conteúdo sobre:
catapora DF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.