Aumento nos casos de câncer de garganta é associado ao HPV

O número de pessoas diagnosticadas com o câncer oral relacionado ao HPV em 2004 foi o triplo do diagnosticado em 1988

REUTERS

04 de outubro de 2011 | 15h19

O número de casos de câncer de garganta e da parte de trás da boca está aumentando, especialmente por causa do crescimento dos casos decorrentes de infecção viral pelo vírus do papiloma humano (HPV), de acordo com um estudo norte-americano.

O número de pessoas diagnosticadas com o câncer oral relacionado ao HPV em 2004 foi o triplo do diagnosticado em 1988 - em grande parte por causa das mudanças no comportamento sexual que ajudaram a disseminar o vírus, suspeitam os pesquisadores.

O HPV é uma infecção transmitida sexualmente muito comum que pode causar verrugas genitais e determinados tipos de câncer, incluindo o de colo de útero, de ânus e de pênis.

"Toda a associação entre o câncer de cabeça e pescoço relacionado ao HPV muda completamente nossa ideia de quem está sob risco, de como tratar o câncer, do prognóstico e da prevenção do câncer", disse Maura Gillison, da Ohio State University, que liderou o estudo publicado no Journal of Clinical Oncology.

Gillison e seus colegas examinaram tecidos de câncer oral coletados de 271 pacientes ao longo de um período de 20 anos.

O tipo de câncer que eles examinaram, chamado orofaríngeo, começa na parte de trás da língua, a parte mole do céu da boca, nas amígdalas ou na lateral da garganta.

Nas amostras, eles procuraram por evidência de infecção por HPV e descobriram que os casos relacionados ao HPV tornaram-se mais comuns a cada década, enquanto as amostras que não testavam positivo para o vírus tornaram-se menos comuns.

A partir desses resultados, eles estimam que os casos de câncer oral relacionados ao HPV atingem 26 em cada milhão de pessoas nos Estados Unidos, comparados com oito em cada milhão de pessoas em 1988.

Tina Dalianis, professora no Instituto Karolinska, na Suécia, que não participou do estudo, disse acreditar que o aumento no caso de câncer de boca "deve-se a uma epidemia de HPV".

"Acreditamos que os hábitos sexuais mudaram e que há um aumento na atividade sexual mais cedo na vida, com uma troca de muito mais parceiros sexuais no geral", escreveu ela em um email à Reuters Health.

Tudo o que sabemos sobre:
HPVSaúdeCâncer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.