Kim Kyung-Hoon / File Photo / Reuters
Kim Kyung-Hoon / File Photo / Reuters

Austrália confirma primeira morte por coronavírus

A vítima era um idoso de 78 anos que estava no cruzeiro Diamond Princess, que ficou em quarentena no Japão

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de março de 2020 | 04h33

Um australiano de 78 anos, ex-passageiro do navio "Diamond Princess", colocado em quarentena na costa do Japão, foi a primeira fatalidade do novo coronavírus no país, anunciaram as autoridades de saúde neste domingo, 1.

O homem morreu no hospital de Perth (sudoeste), disse uma porta-voz do ministério estadual da Austrália Ocidental à AFP.

Sua esposa, de 79 anos, e também infectada a bordo do navio, permanece hospitalizada em Perth.

Mais de 700 pessoas testaram positivo para o novo coronavírus entre os passageiros e a tripulação deste cruzeiro.

"O processo de quarentena não foi perfeito", reconheceu o diretor do departamento de doenças infecciosas do Centro Nacional de Saúde e Medicina, Norio Ohmagari.

O homem figurava entre cerca de 160 australianos evacuados do navio em meados de fevereiro e deu positivo para o novo coronavírus, uma vez repatriado.

Ele foi transferido para uma unidade de isolamento no hospital de Perth em 21 de fevereiro, enquanto os outros ex-passageiros estavam em quarentena em um campo para trabalhadores da indústria de mineração fora de uso perto de Darwin (norte).

A princípio, o estado dos dois septuagenários não cobriu a gravidade. Mas a saúde do homem se deteriorou, disse Andrew Robertson, um alto funcionário do Ministério da Saúde da Austrália Ocidental.

Ele insistiu que o idoso havia sido isolado muito rapidamente e que não representava "nenhum risco" para a população ou a equipe médica.

No domingo, as autoridades de saúde do estado de Nova Gales do Sul confirmaram um novo caso, o 26º, de infecção por coronavírus na Austrália, um homem que havia viajado para o Irã. A grande maioria são pessoas da província chinesa de Hubei, o foco da epidemia. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.