Austríaco de 20 anos recebe prótese controlada pelo cérebro

Novos braços mecânicos permitirão que o jovem eletricista retome sua profissão, diz jornal

EFE,

14 de novembro de 2007 | 16h09

istian Kandlbauer, um jovem austríaco de 20 anos, é o primeiro europeu a usar braços mecânicos comandados pelo cérebro, desenvolvidos por uma empresa alemã em seu centro de pesquisa em Viena, segundo informou a imprensa austríaca.   Kandlbauer, um mecânico que perdeu os dois braços em conseqüência de um acidente com corrente elétrica de alta tensão, poderá voltar a exercer sua profissão, já que as próteses permitem que ele movimente os braços e as mãos sem fazer movimentos bruscos, segundo o jornal Kurier, de Viena.   O rapaz, que teve um braço amputado até o ombro e o outro acima do cotovelo, é o primeiro europeu e a terceira pessoa no mundo a se beneficiar da invenção.   "De agora em diante voltarei a fazer tudo sem ajuda dos outros. Ninguém pode imaginar como é sempre precisar de alguém para ir ao banheiro, para comer e para tomar banho", disse Kandlbauer, acrescentando que esta novidade dá uma nova qualidade de vida a pessoas como ele.   Segundo explicou um porta-voz da empresa inventora destes braços mecânicos, até agora, este tipo de prótese apenas permitia três possibilidades de movimento: abrir e fechar a mão, levantar e descer o cotovelo e girar a mão, sendo que cada um deles só podia ser realizado isoladamente.   Os novos braços de Kandlbauer têm sete articulações cada um, e ele pode movimentar várias delas ao mesmo tempo, apenas com o comando do cérebro, segundo explicou o cirurgião Manfred Frey, que conduziu as operações.   Kandlbauer ainda tinha nos ombros restos dos nervos que chegavam os braços e transmitiam os impulsos cerebrais.   Esses fragmentos foram transferidos pelos médicos aos músculos do peito, onde recebem sinais que são registrados por eletrodos e desencadeiam os movimentos correspondentes.

Tudo o que sabemos sobre:
prótesecérebroáustria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.