Autoridades chinesas pedem calma após 1ª morte por gripe aviária

É o primeiro caso em 18 meses; homem de 39 anos morreu no dia último dia 31

Efe,

02 de janeiro de 2012 | 11h49

 As autoridades chinesas de saúde pediram nesta segunda-feira, 2, calma aos habitantes de Shenzhen após ser registrada nessa localidade a primeira morte por gripe aviária em 18 meses no país, depois de assinalar que o vírus foi identificado e não pode gerar contágio entre humanos.

Segundo o Centro de Controle de Doenças da cidade, vizinha a Hong Kong, se confirmou que o vírus pertence à variedade H5N1, altamente patogênica, e que se transmitiu de uma ave para o homem, um motorista de ônibus de 39 anos de sobrenome Chen que morreu em 31 de dezembro.

De acordo com informações anteriores da agência "Xinhua", o falecido não teve contato direto com aves nem tinha viajado para outros lugares recentemente.

A morte causou especial alarme na vizinha ex-colônia britânica de Hong Kong, onde foram proibidas as importações de aves de Shenzhen durante três semanas.

Já há poucos dias, dezenas de milhares de aves foram sacrificadas em um mercado do território hongkonês ao se encontrar o vírus em uma delas.

Mais de 300 pessoas morreram no mundo todo por gripe aviária desde que apareceu pela primeira vez em 2003, período no qual infectou 565 pessoas, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Desde aquele ano, o vírus H5N1 provocou a morte e obrigou o sacrifício de mais de 400 milhões de aves de curral, causando perdas de US$ 20 bilhões no mundo todo até que pôde ser erradicado na maioria dos 63 países afetados no momento mais forte da epidemia.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe aviáriaChinamorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.