Avanço da dengue no litoral põe São Paulo em alerta

O avanço da dengue na Baixada Santista já deixa as autoridades de saúde da Capital em alerta. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, das 105 pessoas que apresentaram a doença, de janeiro até 12 de abril, 80% foram infectadas pelo vírus transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti no Guarujá, Praia Grande, Santos e São Vicente. A preocupação aumenta com os dois próximos feriados prolongados, quando a região deve receber pelo menos 1 milhão de turistas. ?A Baixada Santista sempre preocupa, porque é o destino de férias, feriados e fins de semana?, diz a coordenadora do Controle da Dengue da Secretaria Municipal de Saúde, Bronislawa de Castro. ?Se o paulistano sentir sintomas, deve procurar um médico, que notificará o caso para a Vigilância Sanitária?, explica. Quando um caso importado (contraído em outras cidades) é notificado, a Prefeitura faz um bloqueio na região onde mora a pessoa contaminada, aplica inseticidas e realiza um trabalho de prevenção. Mas, se o caso deixar de ser notificado, a doença pode se espalhar pela região onde a pessoa contaminada mora. Este ano, o Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CCD) já registrou 70 casos assim. Na Baixada Santista, até ontem, 755 casos haviam sido confirmados em Santos, São Vicente, Praia Grande, Cubatão e Guarujá. O número de doentes, porém, pode ser ainda maior: há 5.260 notificações que ainda aguardam confirmação. A despachante aduaneira Leonor Coliri Justo, 58, que mora em Santos, está há oito dias com a doença. ?Já acionei o serviço de combate à dengue da cidade e nada foi feito?, reclama. ?Só na rua onde moro são mais de 10 casos confirmados.? A estudante Gabriela Moura, 25 anos, e sua mãe, Mara Elia, 50, também foram infectadas. Elas moram no Guarujá. ?Moro em apartamento, não tenho plantas. Só posso ter sido picada na rua. A situação aqui é grave?, diz Gabriela. Em Santos, até ontem, 145 pessoas receberam a confirmação de que estavam com dengue. O número de notificações chega a 1.126, 33,5% a mais do que no mesmo período do ano passado. A incidência na cidade chega a 26,3 casos para cada 100 mil habitantes. Em São Vicente, em que há 146 confirmações, há 672 pacientes aguardando resultados. Na Praia Grande, há pelo menos 50 casos confirmados e mais 2.100 notificações. Guarujá, que surge com 288 casos confirmados da doença, registrou até o final de março 1.431 notificações.

Agencia Estado,

19 de abril de 2006 | 09h50

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.