Bactérias protegem abelhas contra parasitas

Insetos desenvolveram menos infecções no intestino

Das agências de notícias

14 de novembro de 2011 | 21h08

 Bactérias presentes no intestino de abelhas parecem proteger contra infecções de um parasita intestinal virulento, mostra um novo estudo.

Cientistas do Swiss Federal Institute of Technology Zurich, na Suíça, sugerem que esses micro-organismos são transmitidos socialmente e que a presença deles pode reduzir as infecções pelo parasita Crithidia bombi.

Para chegar à conclusão, os autores monitoraram abelhas operárias em um ambiente isolado e semi-estéril para simular um estilo de vida solitário. As abelhas que podiam se alimentar em local onde havia fezes das companheiras desenvolveram uma microbiota _conjunto de bactérias_ no intestino similar à das abelhas saudáveis encontradas na natureza.

Quando expostas ao parasita C. Bombi, as abelhas que desenvolveram as bactérias tinham menos infecções  no intestino em relação às que não tinham essa microbiota, revela o estudo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.