Bahia vive epidemia de sarampo, diz secretário da saúde

O secretário de Saúde da Bahia, Jorge Solla, afirmou hoje que a Bahia vive uma epidemia de sarampo. Depois de uma série de informações desencontradas divulgadas desde novembro do ano passado, o secretário apresentou o dado parcial da infecção no Estado: ao todo, foram registrados 169 casos de suspeita de sarampo, espalhados por 11 municípios baianos. Desses, 43 foram confirmados, 72 foram descartados e 54 estão sob investigação. Por causa da situação, o secretário e a superintendente de Vigilância e Proteção à Saúde, Lorene Pinto, anunciaram a realização do Dia Estadual da Vacinação contra o Sarampo, no dia 20. De acordo com Solla, o público-alvo da ação são homens entre 12 e 39 anos que ainda não tenham recebido a vacina. "A cobertura vacinal entre crianças e mulheres em idade de reprodução é alta no Estado", justifica o secretário. O atendimento será feito nos postos de saúde estaduais. Para serem atendidos, os interessados devem portar carteira de identidade e cartão de vacinas. Na oportunidade, será ministrada a vacina tríplice viral - não só contra sarampo, mas também contra caxumba e rubéola. "Nas áreas consideradas de risco, vamos promover uma campanha de vacina porta a porta", acrescenta Solla. Segundo dados do Ministério da Saúde, não eram registrados casos de sarampo entre os baianos desde 1999. Amostras identificaram que o vírus causador do surto é o do tipo D4, cepa mais comum na Europa e África. Os técnicos que analisam o avanço da doença ainda não identificaram o caso que deu início ao surto. O ministério divulgou o número 0800-644-6645 para que profissionais de saúde informem casos suspeitos.

Agencia Estado,

10 de janeiro de 2007 | 17h45

Tudo o que sabemos sobre:
notícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.