Balanço da OMS conta 331 casos de gripe suína em 11 países

Alemanha tem 1º caso de contágio de pessoa para pessoa; Hong Kong e Dinamarca também registram casos

Agências internacionais,

01 Maio 2009 | 06h32

A Organização Mundial da Saúde (OMS) atualizou na manhã desta sexta-feira, 1, o número de casos confirmados de pessoas infectadas pelo vírus da gripe suína, que agora chegou a 331, distribuídos em 11 países. Enquanto isso, na Alemanha, o Ministério da Saúde anunciou o primeiro contágio da gripe suína entre pessoas. Além disso, dois casos foram confirmados por autoridades médicas da Dinamarca e de Hong Kong. Ambos os casos ainda não estão na contagem oficial da OMS.

 

Veja também:

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

O México tem 156 casos humanos da infecção, enquanto as autoridades dos Estados Unidos informaram 109 casos confirmados em laboratório. A presença da gripe suína também foi confirmada no Canadá, com 34 pessoas doentes; na Espanha, com 13; no Reino Unido, com oito; na Alemanha e Nova Zelândia, com três, cada um; em Israel, com dois, e na Suíça, Holanda e Áustria, com um caso em cada país.

 

A OMS reiterou que não recomenda restringir as viagens regulares nem o fechamento de fronteiras, mas considera "oportuno que as pessoas doentes suspendam viagens internacionais e que aqueles que apresentem sintomas após uma viagem internacional busquem atendimento médico". Além disso, a OMS "assegurou que não há risco de infecção por comer porco bem cozido ou produtos provenientes deste animal".

 

A organização ainda descartou convocar uma nova reunião de emergência, que poderia elevar para 6 o alerta global para doença, o que indicaria uma pandemia. O atual nível 5 indica um risco iminente de epidemia global.

 

 

México

 

O ministro da Saúde do México, José Córdova, divulgou novos números da gripe suína no país. No total, há 300 casos confirmados da doença no país, além de 12 mortes relacionadas ao vírus. Este número difere do da OMS porque a organização leva mais tempo para consolidar dados em todos os países afetados. Suspeita-se que quase 3 mil pessoas tenham contraído a doença no México, sendo que, a maioria delas, já teria sido curada. Dezenas de mortes podem ter sido causadas pela gripe, mas o governo avança lentamente para consolidar o número de vítimas fatais do surto.

 

"Vale ressaltar que o aumento não significa que tenha morrido mais gente nas últimas horas, mas que estão sendo submetidas para análises mais amostras, recolhidas desde o princípio de abril", disse Córdova durante uma coletiva de imprensa de manhã. "Também não vamos mais falar de casos suspeitos, apenas de confirmados." 

Os oito principais aeroportos do México estão instalando câmeras capazes de medir a temperatura do corpo humano para ajudar na detecção de pessoas que possam estar infectadas pelo vírus da gripe suína. A febre alta é um dos principais sintomas da doença, que incluem ainda tosse, dores na garganta, músculos e articulações, congestão nasal, náuseas, vômitos e diarreia.

"Se encontramos sinais de temperatura alta em algum passageiro, este será levado a uma atenção médica mais detalhada para receber orientação e, se for o caso, ser levado a um centro de saúde para receber atendimento imediato", disse ontem o Ministro das Comunicações e Transportes, Juan Molinar.

Como parte dos novos esforços para conter o avanço da doença, o presidente do México, Felipe Calderón, anunciou a suspensão parcial de serviços não-essenciais entre os dias 1 e 5 de maio e pediu que a população ficasse em casa nesse período.

 

Dinamarca

 

Autoridades do país escandinavo confirmou a aparição do primeiro caso de infecção pelo vírus influenza A. A informação foi dada à agência Reuters por Else Smith, diretora do Centro Nacional de Promoção de Saúde e Prevenção de Doenças.

 

Oriente

 

O Ministério da Saúde japonês informou hoje que os exames de um doente com suspeitas de gripe suína apresentaram resultado negativos, e por isso ainda não há qualquer caso confirmado no país. Os exames foram realizados em um jovem estudante de 17 anos de Yokohama que viajou ao Canadá entre os dias 10 e 25 de abril e que apresentava sintomas similares aos da nova gripe.

 

Ontem, uma japonesa que chegou ao aeroporto internacional de Tóquio em um voo procedente de Los Angeles teve um resultado positivo para a gripe suína, mas exames posteriores descartaram a  presença do vírus. As autoridades de Hong Kong também confirmaram o primeiro caso de uma pessoa infectada pela doença nessa região administrativa da China.

 

Alemanha

 

A Alemanha anunciou nesta sexta-feira, 1, o primeiro contágio entre pessoas. Trata-se de uma mulher da Baixa Baviera que foi contagiada por entrar em contato com uma pessoa infectada, mas ela já se recuperou da doença. Com este já são quatro os casos de contágio com o novo vírus gripal na Alemanha confirmados, todos eles pelo Instituto Robert Koch de virologia, encarregado de coordenar as análises e testes em todo o país.

 

Os três casos anteriores foram confirmados na quarta-feira passada e localizados em Hamburgo, e nas localidades bávaras de Regensburg e Kulmbach. Os últimos relatórios médicos indicam que todos eles estão se recuperando e devem estar curados em breve.

 

Reino Unido

 

Nesta sexta-feira, deve sair o resultado de um teste que indicará se houve contágio de pessoa para pessoa na Escócia. A possível vítima é amiga do casal que passou a lua de mel em Cancún, no México, as primeiras vítimas da doença no país. Em entrevista à imprensa britânica, Iain Askham disse que muitas pessoas tossiam e espirravam no voo em que ele retornou com a esposa do México.

 

Recuperado da doença, ele afirmou ainda ter tido medo de morrer durante a internação. "Você tenta ficar calmo, mas a possibilidade sempre ronda a sua mente", disse ao Daily Mail. Até agora, todos os 27 casos de gripe suína registrados na Europa não foram graves.

 

Atualizado às 10h28 para acréscimo de informações.

 

Mais conteúdo sobre:
gripe suínaOMS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.