USDA/Divulgação
USDA/Divulgação

Barretos, no interior, decreta emergência por risco de dengue

Em 2016, a cidade teve 174 casos suspeitos de dengue, seis suspeitos de chikungunya e um possível caso do zika vírus

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

15 Janeiro 2016 | 16h57

SOROCABA - A prefeitura de Barretos, no interior de São Paulo, decretou situação de emergência no município em decorrência da possibilidade de uma epidemia de dengue e dos riscos de chikungunya e zika vírus, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegipti. O decreto, assinado pelo prefeito Guilherme Ávila (PSDB), foi publicado nesta sexta-feira, 15. Nos primeiros dias de 2016, a cidade teve 174 casos suspeitos de dengue, seis suspeitos de chikungunya e um possível caso do zika vírus.

A cidade é a primeira do Estado a decretar emergência pela infestação do Aedes em 2016. No ano passado, Barretos teve 2.558 notificações e 824 casos confirmados de dengue. Com a emergência, serão adotadas ações de reforço no combate ao mosquito, com a notificação dos proprietários para que limpem os terrenos, sob pena de multa inicial de R$ 200. Serão intensificados os arrastões e vistoria domiciliar pelos agentes.

De acordo com o prefeito, o crescimento de casos nas últimas semanas causou preocupação. "Barretos não tinha muitos casos, mas como recebe muitos visitantes de cidades onde as doenças estão aparecendo com mais força, a contaminação dos mosquitos é inevitável", disse, lembrando que a cidade sedia a maior Festa do Peão do País. "Declarar emergência facilita juridicamente algumas ações que não podem esperar por um longo processo burocrático para serem tomadas", justificou.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo PSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.