Bayer suspende vendas mundiais de remédio coagulante

O Trasylol, também conhecido como aprotinina, funciona ao bloquear enzimas que dissolvem coágulos

Associated Press e estadao.com.br,

05 de novembro de 2007 | 16h04

Sob pressão, a Bayer anunciou nesta segunda-feira, 5, a suspensão das vendas, em todo o mundo, da droga Trasylol, usada para conter sangramento em cirurgias cardíacas. Em 2006, um estudo canadense havia indicado que o remédio parecia ligado a um risco mais alto para a vida do paciente.   A FDA, órgão do governo americano que supervisiona o mercado de medicamentos, havia pedido à empresa alemã que interrompesse as vendas até que fosse feita uma análise detalhada dos resultados preliminares do estudo canadense.   A Bayer diz ter tomado a decisão depois de conversas com a FDA, o Instituto Federal para Drogas da Alemanha e o serviço federal de saúde canadense.   Trasylol, também conhecido como aprotinina, funciona ao bloquear enzimas que dissolvem coágulos. A droga foi criada para deter a perda de sangue e permitir que pacientes de cirurgia cardíaca evitem se submeter transfusões.   No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informa que, até o momento, não há notificações ou informações encaminhadas à agência, por usuários do Trasylol, sobre reações adversas provocadas por este medicamento.   A Anvisa acrescenta que já solicitou ao fabricante informações sobre possíveis notificações de eventos adversos no exterior, e que acompanhará a ação se a Bayer anunciar a retirada do Trasylol do mercado brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:
bayeraprotininaTrasylol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.