Reprodução|Facebook
Reprodução|Facebook

Bebê é internado após uso de protetor solar; veja como proteger as crianças do sol no verão

Criança de 3 meses ficou três dias em hospital. Recomendação de entidade de pediatria é utilização apenas após os 6 meses

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

04 Janeiro 2017 | 12h00

SÃO PAULO - Um bebê de 3 meses ficou três dias internado na Austrália após sua mãe aplicar protetor solar. A criança, que apresentou erupções na pele, não foi exposta ao sol, segundo o relato da mãe no Facebook. Jessie Swan disse que usou um produto de fator 50 fabricado por uma ONG que oferece informações sobre o câncer. A Academia Americana de Pediatria recomenda que não seja utilizado protetor solar em bebês com menos de 6 meses - e que eles não sejam expostos diretamente ao sol.

Além do relato, Jessie postou uma foto do bebê com manchas avermelhadas no tórax, nos braços e no rosto. A organização se posicionou na página da australiana e informou que os protetores solares infantis que produz são formulados para as peles mais delicadas e que todos os produtos passam por rigoroso controle de qualidade.

A ONG informou, no entanto, que, pelo fato de haver diferentes tipos de pele, reações individuais podem ocorrer e é necessário fazer um teste de sensibilidade antes de fazer uso do produto.

Em fevereiro do ano passado, a Academia Americana de Pediatria publicou uma série de dicas sobre como proteger os bebês e as crianças do sol. Segundo a entidade, quando o bebê tiver de ser exposto ao sol e não houver possibilidade de proteção física (como guarda-sol, roupas e bonés), pode ser aplicada uma pequena quantidade de protetor no rosto e nas palmas das mãos.

Mais conteúdo sobre:
verão Austrália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.