Divulgação
Divulgação

Caso de microcefalia no interior de SP é investigado por suspeita de relação com zika

Mãe da criança que nasceu em Olímpia chegou grávida há cinco meses de Pernambuco, Estado que registra o maior número de casos de má formação em recém-nascidos no País

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

05 Dezembro 2015 | 16h16

SOROCABA - Um bebê do sexo masculino nasceu com microcefalia na tarde de sexta-feira, 4, na Santa Casa de Olímpia, interior de São Paulo. A mãe da criança chegou grávida, há cinco meses, da cidade de Ribeirão, a 80 quilômetros de Recife, capital de Pernambuco.

O Estado nordestino registra o maior número de casos de nascimento de crianças com a malformação no País e a possível relação com o zika vírus, transmidito pelo Aedes aegypti, é investigada. Esse fato levou a Vigilância Epidemiológica de Olímpia a abrir investigação sobre essa possível relação no caso ocorrido na cidade.

 

A prefeitura tranquilizou os moradores, alegando que eventual contaminação da gestante pelo zika vírus teria ocorrido em Pernambuco e que não há circulação do vírus na região, não havendo motivo para alarme.

O município passou informações sobre a ocorrência ao Ministério da Saúde e informou que o caso está sendo monitorado pela Vigilância Epidemiológica. Na segunda-feira, 7, o bebê será submetido a exames e coleta de amostras que serão enviadas para análise no Instituto Adolfo Lutz.

Mais conteúdo sobre:
microcefalia zika olímpia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.