Robson Fernandes/Estadã
Robson Fernandes/Estadã

Bebê Sofia volta a ser internada em Miami

Após ganhar alta, menina, de 1 ano e 6 meses, apresentou pontos avermelhados na pele, indicativos de uma possível infecção

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

10 Julho 2015 | 16h14

SOROCABA - Uma semana após ter recebido alta, a menina Sofia Gonçalves de Lacerda, de um ano e seis meses, voltou a ser internada no Jackson Memorial Hospital, em Miami (EUA), na noite de quinta-feira, 9. A criança se recupera de um transplante múltiplo do órgãos do sistema digestivo e os exames de rotina apresentaram alterações.

Na pele de Sofia, apareceram pontos avermelhados, indicativos de possível infecção, segundo a mãe, Patrícia Lacerda. “Sofia foi encaminhada para a emergência para fazer um raio X dos pulmões e colheram amostrar para mais exames, por segurança. Voltar para o hospital não é fácil, mais sabemos que tudo é para o bem dela. Ela está aqui toda esperta, brincando de esconde-esconde com a mamãe”, afirmou a mãe, através de rede social.

A menina passa por uma bateria de exames e ficará internada até que os resultados fiquem prontos. Portadora de Síndrome de Berdon, uma doença rara, Sofia foi levada aos Estados Unidos há cerca de um ano e, em abril deste ano, teve transplantados o estômago, fígado, pâncreas, intestino delgado, incluindo o duodeno, e intestino grosso. Desde a alta, no dia 2, ela se tratava em casa - um imóvel alugado pelos pais próximo de Miami.

Sofia teve seu tratamento nos Estados Unidos bancado pelo governo brasileiro por decisão da Justiça. A cirurgia, incluindo pré e pós-operatório, custou R$ 2,4 milhões. Uma campanha pelas redes sociais arrecadou outros R$ 2 milhões que estão sendo usados pela família para manter as criança no exterior. Ela só deve voltar ao Brasil em 2017 - a família mora em Votorantim, interior de São Paulo.

Mais conteúdo sobre:
Bebê Sofia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.