Bélgica pretende esterilizar todos os gatos do país até 2016

Em 2009, mais de 12 mil felinos tiveram de ser sacrificados pela impossibilidade de achar um dono

Efe

18 de agosto de 2010 | 18h51

BRUXELAS - Um departamento do governo belga propôs a esterilização de todos os gatos do país até 2016, como forma de combater o excesso de população dos animais, segundo a imprensa local.

Em 2009, mais de um terço dos 37 mil gatos dos centros de apoio da Bélgica tiveram de ser sacrificados diante da impossibilidade de encontrar um lar para eles.

O plano da seção de bem-estar animal do Serviço Federal de Saúde Pública deveria começar em 2011 e ser realizado durante cinco anos, segundo o jornal La Meuse.

No início, está prevista a esterilização de gatos dos centros de amparo aos animais, em seguida os felinos de criadores e, por fim, os domésticos.

O objetivo é que, em 2016, todos os gatos estejam identificados, registrados e esterilizados. O projeto é consequência dos numerosos problemas que o excesso de gatos abandonados pelos donos está causando no país.

Só na cidade de Charleroi, com 200 mil habitantes, há entre 4 mil e 6 mil gatos sem dono, o que provoca preocupações de limpeza e saúde pública, além de sofrimento para o animal, segundo fontes da prefeitura citadas na última semana pelo jornal Le Soir.

Dos 589 municípios belgas, 207 já têm algum plano para promover a esterilização dos gatos e lutar contra essa superpopulação.

A Gaia, uma organização de defesa dos direitos dos animais, lançou recentemente uma campanha a favor da medida.

Tudo o que sabemos sobre:
BélgicagatosesterilizaçãoCharleroi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.