Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Bloco 'Xô Zika' divulga formas de combate ao 'Aedes'

No Rio, o vírus é suspeito de ter causado ao menos 171 casos de microcefalia, desde janeiro de 2015

CONSTANÇA REZENDE E FÁBIO GRELLET, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2016 | 22h33

RIO - Em meio aos desfiles dos blocos de carnaval, o governo do Estado do Rio começou no último fim de semana uma ação inédita de combate ao mosquito Aedes aegypti. São distribuídos camisetas, ventarolas, bastões infláveis e bexigas do bloco “Xô Zika”, criado para divulgar as formas de combate e o risco das doenças causadas pelo mosquito. 

No Rio, o zika é suspeito de ter causado ao menos 171 casos de microcefalia, desde janeiro de 2015, segundo boletim da Secretaria Estadual de Saúde. 

No sábado passado, o “Xô Zika” se infiltrou no cortejo do bloco Spanta Neném, na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul. Crianças e adultos, principalmente as grávidas, vestiram a camiseta que alerta contra o transmissor do zika vírus. 

Ao todo, 505 blocos desfilarão pelas ruas do Rio até 14 de fevereiro, quando a folia será oficialmente encerrada. Segundo a secretaria, já foram distribuídas 3,5 mil camisetas, 8 mil ventarolas, mil bastões infláveis e 500 bexigas coloridas.

“Precisamos contar com a parceria da população para evitar a proliferação do mosquito, inclusive no período do carnaval. O combate ao Aedes aegypti começa dentro das nossas casas e o zika vírus representa um perigo maior para as grávidas porque pode causar a microcefalia nos bebês”, disse o secretário estadual de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Júnior.

A prefeitura do Rio também intensificou as ações de combate ao Aedes nos principais palcos do carnaval. Na terça, 25 agentes fizeram vistoria e aspersão de inseticida no Sambódromo, região central. As entidades do setor de turismo informam desconhecer casos de desistência de viagens ao Rio motivados pela proliferação das doenças. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.