Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Bolsonaro diz que altera hoje o protocolo de uso da cloroquina no combate ao coronavírus

Presidente afirmou que "é direito do paciente" decidir sobre o seu tratamento e defendeu uso da droga "desde o começo"; recomendação atual prevê apenas casos graves

Marlla Sabino, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2020 | 10h57

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira, 15, que mudará hoje o protocolo de uso da cloroquina adotado no sistema de saúde para o tratamento do novo coronavírus. Nos últimos dias o presidente já havia comentado sobre a mudança. A declaração foi dada após ele ter sido questionado sobre o assunto por apoiadores no Palácio da Alvorada.

Atualmente, a recomendação é que medicamento seja usado no tratamento de pacientes em casos graves da covid-19. A indicação está prevista em protocolo do Ministério da Saúde publicado ainda na gestão do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta

O chefe do Executivo, contudo, argumenta que "é direito do paciente" decidir sobre o seu tratamento. A droga ainda não tem eficácia comprovada contra o novo coronavírus. O Conselho Federal de Medicina publicou nota técnica permitindo a prescrição do medicamento mesmo em casos leves da doença, com as ressalvas dos riscos. 

"O protocolo deve ser mudado hoje porque o Conselho Federal de Medicina diz que pode usar desde o começo então", afirmou. “O médico na ponta da linha é escravo do protocolo. Se ele usa algo diferente do que está ali e o paciente tem alguma complicação ele pode ser processado", explicou.

Até o momento, não houve nenhuma pesquisa ou estudo que comprovasse o efeito positivo e indiscriminado da cloroquina no tratamento da covid-19. Há duas semanas, o atual ministro da Saúde Nelson Teich afirmou que ainda há "incerteza" sobre o medicamento e descartou que ele pudesse ser um "divisor de águas" no enfrentamento da pandemia. Nos Estados Unidos, a Food and Drugs Administration (FDA), agência reguladora de alimentos e drogas, também recomendou cuidado quanto ao uso da droga fora do ambiente hospitalar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.