Dida Sampaio / Estadão
Dida Sampaio / Estadão

Bolsonaro sugere exame de quem vem da Venezuela, mas diz que fechar fronteira pode não adiantar

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Bolsonaro não detalhou quais exames seriam exigidos; governo federal discute em reunião nesta segunda-feira o pedido de fechamento da fronteira feito pelo governador do Estado

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2020 | 12h27

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, 16, que o Brasil pode adotar um controle maior e exigir exames para quem quiser entrar no País a partir da Venezuela por causa do novo coronavírus. Questionado se há a possibilidade de fechar a fronteira, Bolsonaro disse considerar a medida pouco efetiva. Além disso, afirmou que não vê espaço na lei para impedir a entrada de imigrantes no País.

"Pode até fechar a fronteira com a Venezuela, mas (entrada) vazaria por outro lugar", afirmou o presidente em entrevista à Rádio Bandeirantes na manhã desta segunda-feira. Bolsonaro não detalhou quais exames seriam exigidos de quem pretende entrar no País a partir do país vizinho. "Hoje o Brasil é sem fronteiras. Você não encontra espaço na lei para fechar", completou Bolsonaro.

Em reunião, o governo federal discute nesta segunda-feira o pedido apresentado pelo governador de Roraima, Antonio Denarium (sem partido). Na semana passada, ele pediu para que a fronteira da Venezuela seja fechada no seu Estado, como antecipou o Estado. O assunto é considerado delicado e divide opiniões.

Conforme apurou o Estado, os ministérios da Saúde e da Justiça e Segurança Pública estariam a favor do fechamento, para evitar a ampliação dos problemas no Estado, que sofre com a superlotação de seus hospitais, e chegada constante de imigrantes, por causa da falta de recursos do país vizinho. Os militares, por sua vez, embora reconheçam as dificuldades e preocupações do governador, advertem sobre a complexidade da medida, que poderia acabar se mostrando inócua, dado o tamanho da fronteira e a sua porosidade.

Enquanto o Brasil ainda discute se fecha suas fronteiras para evitar a ampliação do contágio pelo novo coronavírus, outros países da América Latina já adotaram medidas restritivas.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

A Argentina anunciou no domingo, 15, o fechamento das fronteiras por um prazo de 15 dias.  Apenas argentinos ou estrangeiros residentes podem entrar no país. A proibição não se aplica a quem deseja sair.

A Colômbia, outro país vizinho da Venezuela, também adotou medidas restritivas a entradas de estrangeiros. O presidente colombiano, Iván Duque, decretou o fechamento das sete passagens terrestres ao longo da fronteira de 2.200 km com a Venezuela a partir de sábado, dia 14. Além de anunciar o fechamento da fronteira com a Venezuela, a Colômbia restringiu a entrada de estrangeiros que estiveram na Europa e na Ásia nos últimos 14 dias, como medidas para deter a epidemia do novo coronavírus.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.