Brasil aplicou mais de 93 milhões de doses de reforço contra covid

País já imunizou 165.481.720 de pessoas com duas doses ou dose única até as 20 horas desta sexta-feira, 20

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2022 | 20h30

O Brasil aplicou um total de 93.008.070 de doses de reforço contra a covid-19 até esta sexta-feira, 20. Decompondo, são: 90.525.481 e 2.482.589 referentes à terceira e quarta doses, respectivamente. 

O número de vacinados com a 2.ª dose ou dose única contra a doença está em 165.481.720, o equivalente a 77,03% da população total. No acumulado, o País já imunizou 177.857.222 (82,79%) de pessoas com ao menos uma porção até as 20 horas de hoje.

Ao considerar a vacinação pediátrica (para crianças de 5 a 11 anos), o País já vacinou 11.962.577, o que corresponde a 58,35% deste público.

Nas últimas 24 horas, o País administrou 535.991 doses de vacinas, de acordo com os dados do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h. Até este horário apenas 20 Estados haviam informado dados sobre vacinação.

O balanço da campanha de vacinação contra a covid é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho de 2020, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Em termos proporcionais, Piauí é o Estado que mais vacinou sua população até aqui: 93,15% dos habitantes receberam ao menos a primeira dose. O Estado de Roraima apresenta o percentual mais baixo de indivíduos vacinados com uma dose: 62,27%. Em números absolutos, o maior número de vacinados com a primeira dose está em São Paulo (42 milhões), seguido por Minas Gerais (17 milhões) e Rio de Janeiro (14 milhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.