James Gathany/CDC/AP
James Gathany/CDC/AP

Brasil tem 1.616 casos confirmados de microcefalia

Número de mortes suspeitas de má-formação chega a 324; com medo de zika, atleta irlandês desiste de Olimpíada

O Estado de S. Paulo

22 Junho 2016 | 16h55

O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira, 22, que o Brasil tem 1.616 casos confirmados de microcefalia - destes, 233 foram causados por infecção pelo vírus da zika, detectado em exames laboratoriais. 

Os casos confirmados de microcefalia ocorrem em 576 municípios brasileiros, em todas os Estados do País e no Distrito Federal. O Ministério ainda investiga outros 3.007 casos da má-formação. 

Desde outubro do ano passado, início do surto de zika, foram registradas 324 mortes suspeitas de microcefalia ou alteração no sistema nervoso central. Os óbitos ocorreram após o parto ou durante a gestação. 

O Estado de Pernambuco é o que registra o maior número de casos confirmados de microcefalia (366), seguido da Bahia (263) e da Paraíba (143). 

Olimpíada. Por causa do surto de zika, o atleta irlandês Rory McIlroy, um dos maiores jogadores de golfe da atualidade, disse nesta quarta-feira, 22, que não vai participar dos Jogos Olímpicos. A competição começará em agosto, no Rio. 

“Minha saúde e a saúde minha família vêm antes de qualquer coisa", disse McIlroy em um comunicado. "Apesar do risco de infecção por zika ser considerado baixo, ainda assim é um risco que eu não estou disposto a correr"./COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.