País registra 803 mortes por covid; registro de novos casos bate recorde devido a números represados

País registra 803 mortes por covid; registro de novos casos bate recorde devido a números represados

Brasil contabilizou 115.814 novos casos nas últimas 24 horas; aumento foi impactado por dados acumulados de estados como Rio de Janeiro e Paraíba

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2021 | 20h13

O Brasil registrou 803 novas mortes pelo novo coronavírus nesta sábado. Já a média móvel diária de mortes, valor que considera as oscilações de registros de óbitos dos últimos sete dias e elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana, ficou em 565, ainda acima do patamar de 400 que manteve na semana anterior.

O número total de casos de covid-19 nas últimas 24 horas bateu as casa dos 100 mil, foram registrados 125.053 novos casos testes positivos, o mais alto da pandemia. O aumento considerável no número de novas infecções neste sábado se deve, em grande parte, aos dados represados em diversos estados. Na Paraíba, os dados de hoje são referentes ao dados acumulados nos últimos sete dias dos casos leves, por inconsistências no programa do e-SUS.  O Rio de Janeiro também teve mudanças nos sistemas e por isso houve um grande salto entre os números de infecções da cidade de quinta para este sábado.  

Segundo o consórcio de veículos de imprensa, formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL, foram registrados nas últimas 24 horas 803 óbitos segundo levantamento em conjunto com as secretarias estaduais de Saúde.  No total, são 590.547 brasileiros mortos pela doença desde o início da pandemia. 

O balanço do Ministério da Saúde, por sua vez, aponta 150.106 novos casos e mais 935 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, segundo a pasta, são 21.230.325 pessoas infectadas e 590.508 óbitos. Os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Parceria

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho de 2020, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. De forma inédita, a iniciativa foi uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia e se manteve mesmo após a manutenção dos registros governamentais.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.