Brasil faz grande estudo sobre diabetes e hipertensão

O Ministério da Saúde começou, em janeiro deste ano, o maior estudo já desenvolvido na América Latina, e um dos principais em todo o mundo, para avaliar as causas e os efeitos da hipertensão arterial e do diabetes na população brasileira. Aproximadamente 35% da população acima dos 40 anos no Brasil sofre de hipertensão arterial, o que significa cerca de 12 milhões de brasileiros. Já o diabetes atinge 11% dos brasileiros na mesma faixa etária, o que corresponde a quase 4 milhões de pacientes. Doenças muitas vezes evitáveis, com a adoção de hábitos saudáveis, hipertensão e diabetes provocam milhares de mortes todos os anos e geram altos custos para o Sistema Único de Saúde (SUS). Preocupado com essas estatísticas, O Estudo Multicêntrico Longitudinal em Doenças Cardiovasculares e Diabetes Mellitus (EMLDCD), também conhecido como Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto (Elsa/Brasil), avaliará a saúde de cerca de 15 mil pessoas por período que pode variar de 20 a 30 anos. Consórcio formado por instituições de ensino superior foi selecionado - por meio de chamada pública - para o desenvolvimento da pesquisa. As universidades federais de São Paulo (USP), de Minas Gerais (UFMG), da Bahia (UFBA), do Espírito Santo (UFES) e do Rio Grande do Sul (UFRGS), além da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), acompanharão a rotina e os hábitos alimentares dos voluntários ao longo de pelo menos 20 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.