Erasmo Salomao/MS
Erasmo Salomao/MS

Brasil receberá 5 milhões de testes rápidos para coronavírus na próxima semana

Previsão é de que novo material possa chegar a até 10 milhões de unidades

Anne Warth, Eduardo Rodrigues e Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2020 | 20h36

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, disse que 5 milhões de novos testes rápidos para coronavírus chegarão ao País nos próximos dias. Com isso, o Brasil começará a testar também os casos menos graves de covid-19. Nas próximas três semanas, o número de testes rápidos pode chegar a 10 milhões.

“Vamos começar com 5 milhões de testes e chegaremos a 10 milhões”, afirmou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira. “A hipótese de que há muito mais gente com coronavírus circulando é correta, já que 80% dos casos são assintomáticos. Por isso a necessidade de isolamento, por isso a recomendação de isolamento social. Temos várias parcerias com laboratórios privados e estamos ampliando a capacidade de testagem dos públicos”, completou.

Com a contabilização dos casos mais leves, o total de confirmados vai aumentar, mas o índice de letalidade da doença no País deve cair, disse Gabbardo. “A taxa de letalidade no mundo está entre 3,5% e 4%, mas ainda temos um número de casos pequeno para ter nível de confiabilidade nessa taxa. A taxa de letalidade é a razão entre número de óbitos e número de casos confirmados. Quanto mais testes se faz, mais cai a taxa de letalidade”, respondeu.

Os testes rápidos que devem chegar nos próximos dias serão distribuídos prioritariamente entre unidades básicas de saúde. O custo de cada teste é de R$ 75, disse o secretário-executivo.

"Procuramos os testes mais eficientes e com menor custo, mesmo com a escassez mundial. Temos parceiros com acesso a fornecedores internacionais, e esperamos conseguir os testes com recursos de doações. Se não for possível, usaremos recursos do orçamento", completou.

Oliveira disse que o governo irá implementar "drive-thrus" de testagem, a exemplo do que foi feito pelo governo da Coreia do Sul. Ainda assim, pacientes assintomáticos não serão testados.

Até o momento, o governo distribuiu 17 mil kits de testes pelo País. Cada kit pode fazer mais de um teste. Todos os 1.128 casos de coronavírus registrados no País foram confirmados por testes laboratoriais. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.