Brasil reforça estoque de kits para diagnóstico de gripe suína

País também encomendou mais material de proteção para profissionais que trabalham com pacientes infectados

Lígia Formenti, de O Estado de S. Paulo,

16 Junho 2009 | 19h44

O Brasil vai reforçar os estoques de kits de diagnóstico e material de proteção usado por profissionais que trabalham no atendimento de pacientes com suspeita de gripe suína.

 

Veja também:

link País conclui primeiras sequências genéticas do A (H1N1)

especial Mapa: veja como a gripe está se espalhando

especialEntenda a gripe suína: perguntas e respostas 

video Infectologista esclarece cuidados que serão tomados 

mais imagens Veja galeria de fotos da gripe suína pelo mundo   

som 'Meios de transportes facilitam a propagação'

documento Folheto oficial do Ministério da Saúde 

 

A medida faz parte dos preparativos para atender o aumento da demanda nos serviços de saúde, esperado para os próximos meses, quando o clima esfria nos países do Hemisfério Sul. "Com a aproximação do período de gripe, a expectativa é de que haja um aumento do número de casos suspeitos de H1N1 chegando aos centros de atendimento", afirmou o diretor de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde, Eduardo Hage.

 

A encomenda é de 3 mil kits de diagnóstico. O número de jalecos, máscaras e óculos de proteção que serão adquiridos ainda não foi definido.

 

Nos últimos dias, o ministério começou a registrar casos suspeitos de pacientes provenientes de países do Hemisfério Sul, principalmente da Argentina. Dos 79 casos confirmados, 14 são de pacientes que contraíram o vírus em viagem àquele país.

 

Ao mesmo tempo, há ainda um número expressivo de casos confirmados de pessoas procedentes dos Estados Unidos e Canadá. A tendência é de que haja uma redução nos próximos meses de infecções entre pacientes procedentes do hemisfério norte e um aumento de pacientes vindos do hemisfério sul, principalmente em regiões onde o clima é mais frio, contou Hage.

 

Nesta terça, foram confirmados mais cinco casos de gripe suína no País. Dois deles de pacientes de Santa Catarina, dois de Minas e um do Rio. No caso de Santa Catarina, os pacientes faziam parte de um grupo que havia viajado para Argentina. Do grupo, 9 voltaram infectados com o vírus causador da gripe suína.

Mais conteúdo sobre:
gripe suína influenza A (H1N1)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.