Arte sobre foto de Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/via REUTERS
Arte sobre foto de Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/via REUTERS

Brasil registra 824 mortes por coronavírus em 24h e bate recorde de infectados

De ontem para hoje, são 15.305 novos casos confirmados da doença, informações são do Ministério da Saúde

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2020 | 18h59
Atualizado 17 de maio de 2020 | 09h39

O Brasil registrou 824 mortes decorrentes do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo atualização feita pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira, 15. Com isso, o País já contabiliza, ao todo, 14.817 óbitos por covid-19. Ainda de acordo com a pasta, há pelo menos 2.300 mortes em investigação para identificar se a causa foi a covid-19 ou não.

O número total de casos confirmados da doença está em 218.223, com um recorde de  15.305 novos registros nas últimas 24 horas. Dos casos confirmados de coronavírus no País, 118.436 estão em acompanhamento e 84.970 estão recuperados.

Menos de três meses depois de registrar o primeiro caso confirmado de covid-19, o País ultrapassou ontem a marca de 200 mil infectados. Especialistas indicam ainda que há subnotificação de casos, e apontam que o número real de infectados deve ser maior do que o registrado nas estatísticas oficiais. Entre os países com o maior número de casos confirmados da covid-19, o Brasil é o que, proporcionalmente, menos testa sua população, segundo dados do site Worldometer.

Os números oficiais da pandemia no País apresentam especificidades em relação aos dias da semana - aos domingos e segundas, por exemplo, os novos registros diários tendem a cair.  Mas a média de novos registros vem subindo.

Apenas nos últimos dez dias, foram registradas mais de 6 mil mortes por covid-19 e 95 mil novos casos confirmados, o que indica, em média, um patamar de mais de 600 novos registros de óbito por dia, com mais de 9 mil casos confirmados diariamente.

Epicentro da epidemia no País, São Paulo bateu hoje o recorde de novos casos confirmados da doença em apenas 24 horas: 4.092. O Estado já totaliza 58.378 infectados. Conforme boletim apresentado pela Secretaria Estadual de Saúde, o novo coronavírus já está em 70,5% das cidades de São Paulo e já provocou 4.501 mortes no Estado até o momento.

Entre os Estados mais afetados pela doença, também estão Ceará (22.490 casos, 1.476 óbitos), Rio de Janeiro (19.987 casos, 2.438 óbitos), Amazonas (18.392 casos, 1.331 óbitos) e Pernambuco (16.209 casos, 1.381 óbitos). 

Conforme ressalta o Ministério da Saúde, os novos registros em 24 horas não indicam efetivamente quantas pessoas faleceram ou se infectaram de um dia para o outro, mas sim o número de registros que tiveram o diagnóstico de coronavírus confirmado nesse intervalo. 

Troca de comando

  Menos de um mês após assumir o cargo, o ministro da Saúde, Nelson Teich, pediu demissão nesta sexta-feira após entrar em choque com o presidente Jair Bolsonaro. O secretário executivo, general Eduardo Pazuello, assume interinamente. Ele será o terceiro a ocupar o posto durante a crise causada pela pandemia do novo coronavírus no País.

A saída se dá após pressão de Bolsonaro para que Teich alterasse protocolos do Ministério da Saúde envolvendo o uso de cloroquina em pacientes da covid-19. Atualmente, a recomendação da pasta é a utilização apenas em casos graves e de internação. 

A hidroxicloroquina tem se revelado, estudo após estudo, pouco ou nada efetiva para tratar a covid-19. As mais conceituadas revistas médicas do mundo já publicaram pesquisas com centenas de pacientes apontando que a droga não traz melhoras, na comparação com grupos que não a tomaram, e que traz efeitos colaterais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.