Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Brasil registra média de 609 óbitos por dia devido à covid-19

O País contabilizou 658 novas mortes nas últimas 24 horas; o Ministério da Saúde destaca que 4,4 milhões de pessoas estão recuperadas da infecção pelo novo coronavírus

Ludimila Honorato e Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2020 | 20h00

SÃO PAULO e RIO - A média móvel de óbitos causados pela covid-19 no Brasil ficou em 609 nesta sexta-feira, 9, o que considera os valores registrados ao longo de sete dias para evitar distorções. Nas últimas 24 horas, o País contabilizou 658 novas mortes e agora soma um total de 149.692 pessoas que perderam a vida por causa da doença. O balanço é do consórcio dos veículos de imprensa, formado por Estadão, G1, O GloboExtraFolha e UOL, que faz o levantamento de dados juntos às Secretarias de Saúde de todos os Estados e do Distrito Federal.

O número de infectados subiu para 5.057.190 com o registro de mais 27.651 testes positivos para o novo coronavírus desde as 20h de quinta-feira. Segundo o boletim diário divulgado pelo Ministério da Saúde, 4.433.595 pessoas já se recuperaram da contaminação, mas 472.654 ainda seguem em acompanhamento.

No País, seguem os esforços para que uma vacina contra a covid-19 seja disponibilizada o mais breve possível. Nesta quinta-feira, a pasta de Saúde anunciou o pagamento da primeira parcela da iniciativa Covax Facility, no valor de R$ 830 milhões, de um total de R$ 2,5 bilhões. O programa é uma aliança global com o objetivo de acelerar o desenvolvimento de imunizantes e fazer uma distribuição equitativa entre os países.

Em todo o mundo, o novo coronavírus já infectou mais de 36,7 milhões de pessoas e levou à morte mais de 1 milhão, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. Os Estados Unidos seguem como o mais afetado pela pandemia, com 7,6 milhões de casos e 213 mil mortes. O Brasil é o segundo mais atingido em número de óbitos e o segundo quanto às infecções, ficado atrás da  Índia.

No Estado de São Paulo, onde o primeiro caso e a primeira morte foram registrados - além ser o que soma os maiores números da pandemia, seis regiões, incluindo a capital paulista, chegaram à fase verde da quarentena, de acordo com os critérios do Plano São Paulo. O Estado contabiliza 37.068 mortes e 1.028.190 casos confirmados de covid-19. O governador João Doria afirmou que tem um "plano B" para a disponibilização nacional de doses do imunizante coronavac, desenvolvido pela Sinovac com o Instituto Butantã, caso não receba aporte financeiro do Ministério da Saúde para a distribuição do produto.

Já no Rio de Janeiro, foram registrados 1.936 novos casos da covid-19 e 112 mortes nas últimas 24 horas. Ao todo, 19.222 pessoas morreram em função do novo coronavírus e 282.080 testaram positivo. Outros 364 óbitos estão sendo investigados, sob suspeita de terem sido causados pela infecção, e 257.362 pacientes se recuperaram, de acordo com a secretaria estadual de saúde.

Parceria

O balanço de óbitos e casos feito pelos seis veículos de comunicação desde o dia 8 de junho é uma iniciativa inédita em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia. De forma colaborativa, as informações necessárias são coletadas junto às secretarias de Saúde dos 26 Estados e do Distrito Federal. O projeto se manteve após o governo recuar e continuar divulgando os registros.

Segundo o Ministério da Saúde, 27.444 novos casos se somaram às estatísticas, o que elevou o total para 5.055.888 brasileiros já contaminados. Também foram registrados 682 óbitos nas últimas 24 horas e são, ao todo, 149.639 mortes. Nos últimos três dias, ocorreram 475 óbitos e outros 2.310 estão em investigação. Os valores diferem daqueles compilados pelo consórcio de veículos de imprensa por causa do horário de coleta dos dados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.