Estadão
Estadão

Brasil registra queda de 27% no total de casos de dengue

Em abril, foram 246,6 mil pacientes, ante 337,7 mil no mês anterior; São Paulo teve recuo de 51% no total de ocorrências

Lígia Formenti, O Estado de S. Paulo

26 Maio 2015 | 13h37

Atualizada às 20h35

BRASÍLIA - Em abril, a epidemia de dengue no País teve redução de 27% no número de casos, o que indica que o pico de transmissão já passou. Ainda assim, os números são muito mais expressivos do que os de 2014. De janeiro até o dia 9 de maio, foram feitas 845,9 mil notificações no País, com 290 mortes - mais de 2 por dia. O aumento de casos, em relação ao ano passado, foi de 155% e o de mortes, de 25%. 

No mês passado, foram relatadas 246,6 mil infecções, enquanto em março haviam sido 337,7 mil. Na mesma comparação, houve uma redução no número de óbitos no período. Em março, foram 106, enquanto em abril foram 29 - uma queda de 79%. 

Mas a queda nos registros divulgada nesta terça-feira, 26, pelo Ministério da Saúde não foi uniforme, atingindo 13 Estados. O campeão nas reduções foi o Amapá (79,3%), seguido de São Paulo (51%) e Maranhão (47,2%). 

Em 14 unidades da federação houve aumento de casos. No Distrito Federal, por exemplo, foram confirmados 2.103 casos em abril, ante 965 em março. No Rio Grande do Sul, os registros mais que dobraram: passaram de 555 casos, em março, para 1.130 em abril. Em Minas, por sua vez, o aumento foi de 38% (de 28.829 para 39.790). Na Paraíba, a elevação foi de 44% (de 2.502 para 3.602). 

São Paulo. O País inteiro apresenta epidemia - mais de 300 casos por 100 mil habitantes, conforme definido pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Por divisão administrativa, há surto grave em duas das cinco regiões. A Centro-Oeste apresenta a maior incidência de casos, com 653,1/100 mil habitantes (99.403 casos), seguida pelo Sudeste, com 648,1/100 mil habitantes (551.657 casos). 

São Paulo aparece em primeiro lugar - são 432.805 registros até 9 de maio, ante 149.146 em igual período do ano passado, alta de 190%. A incidência epidêmica é de 982 casos por 100 mil habitantes, ante o registro de 190 por 100 mil no ano passado. 

O Estado ainda lidera em mortes: 207, ante 60 até abril de 2014. Desde domingo, houve registro de óbitos mesmo em pequenas cidades. Em Engenheiro Coelho, de 16,1 mil habitantes, na região de Campinas, um homem de 50 anos morreu no domingo. Houve mortes ainda em Potirendaba e Guararapes. 

Prevenção. O ministro da Saúde, Arthur Chioro, tem afirmado que em 2014 a dengue foi menos expressiva no País, o que dificulta a comparação. Justamente por isso, cita 2013. Assim, o número de casos da doença registrado neste ano apresenta uma redução de 30% e o de mortes, de 33,3%. Embora haja a tendência de queda de casos com a chegada do inverno, medidas de prevenção devem ser mantidas. / COLABOROU JOSÉ MARIA TOMAZELA 

Mais conteúdo sobre:
dengue arthur chioro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.