SILVIO AVILA / AFP
SILVIO AVILA / AFP

Brasil tem 17º dia de recorde consecutivo na média diária de mortes por covid

Número chegou nesta segunda-feira a 1.855, o mais alto da pandemia. Dados do consórcio de imprensa mostram 1.275 novos óbitos nas últimas 24 horas

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

15 de março de 2021 | 20h00

A média móvel diária de óbitos pela covid-19 no Brasil bateu recorde pelo 17º dia consecutivo, chegando nesta segunda-feira, 15, a 1.855, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. Essa média leva em consideração dados dos últimos sete dias para captar a tendência da pandemia, que tem sido de alta recorde ao longo do mês de março no País.

Há 14 dias, no dia 1º de março, a média móvel estava em 1.223. O número atual é 51,6% maior na comparação do período. Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 1.275 novos óbitos pela doença, fazendo o total de vítimas chegar a 279.602. Somente na última semana, o número de vítimas chegou a 12.988, com o agravamento do cenário em diferentes regiões do País, segundo dados reunidos pelo consórcio formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL junto às secretarias estaduais de saúde.

Sob pressão crescente, o presidente Jair Bolsonaro escolheu nesta segunda-feira o médico Marcelo Queiroga como novo ministro da Saúde no lugar do general Eduardo Pazuello, que comandava a pasta desde maio do ano passado. Pazuello sofria críticas também em razão do lento ritmo da campanha de vacinação contra a covid-19 nos Estados. Ele anunciou nesta segunda novos contratos para fornecimento de doses

Os dados do consórcio apontam 42.446 novos casos confirmados da doença nas últimas 24 horas, totalizando 11.525.477 diagnósticos positivos desde o início da pandemia. Segundo dados do Ministério da Saúde, o País tem 10.111.954 pessoas recuperadas do novo coronavírus, dos quais 1.128.369 seguem em acompanhamento médico. 

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou nesta segunda a abertura de um novo hospital de campanha para atender pacientes do coronavírus no centro da capital, em Santa Cecília, com capacidade para 180 leitos, dos quais 130 são de enfermaria e 50 de UTI. De acordo com ele, serão 900 profissionais na unidade, que deve ser inaugurada até o final deste mês.

Com a alta de casos do coronavírus, dois hospitais de Porto Alegre decidiram fechar suas emergências entre a noite de domingo, 14, e a manhã desta segunda-feira, 15. O primeiro a decidir pelo fechamento do setor de emergência foi o Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.