Arte sobre foto de Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/via REUTERS
Arte sobre foto de Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/via REUTERS

Brasil tem 2.207 mortes pela covid-19 em 24h e média de óbitos bate recorde pelo 13º dia seguido

Nas últimas 24 horas, foram registrados 78.297 novas infecções; gestores têm aumentado restrições enquanto redes de saúde ficam perto do colapso

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2021 | 20h04

O Brasil registrou nas últimas 24 horas 2.207 mortes pela covid-19 e bateu recorde pelo 13º dia consecutivo na média móvel de óbitos (1.705) pela doença, cálculo que registra as oscilações dos últimos sete dias e elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana. Enquanto as redes de saúde estão perto do colapso, governadores e prefeitos tentam impor novas medidas de restrição na tentativa de frear o vírus. Já o presidente Jair Bolsonaro continua forte opositor das políticas de isolamento social, defendidas por especialistas. 

No total, o Brasil registra 273.124 mortos e 11.284.269 casos da doença. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias de Saúde dos Estados e do Distrito Federal. Segundo os números do governo, 9.958.566 pessoas estão recuperadas.

São Paulo registrou nesta quinta-feira 440 mortes por coronavírus. Pressionado pela alta de internações, o governo João Doria (PSDB) anunciou novas medidas de restrição, o que inclui fechamento maior do comércio, veto a cultos religiosos e partidas de futebol e limitação de funcionamento das escolas. Das 105 cidades com UTI no Estado, 53 já têm as alas de terapia intensiva sem mais leitos disponíveis. 

Outros sete Estados também superaram a barreira de 100 óbitos no dia: Rio Grande do Sul (276), Minas Gerais (263), Rio de Janeiro (190), Goiás (121), Bahia (115), Ceará (102) e Santa Catarina (100). Já o Paraná, com 99 mortes, ficou bem perto desta marca.

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Nesta quinta-feira, o Ministério da Saúde informou que foram registrados 75.412 novos casos e mais 2.233 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, segundo a pasta, são 11.277.717 pessoas infectadas e 272.889 óbitos. Os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.