Brasil tem 24 cidades sob risco de surto de dengue, incluindo duas capitais

Em mais de 4% das residências pesquisadas, foram encontradas larvas do mosquito

MARÍLIA LOPES, Agência Estado

06 Dezembro 2010 | 15h02

O Brasil tem 24 cidades sob risco de surto de dengue, segundo o Ministério da Saúde, que divulgou hoje a atualização dos resultados do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa).

 

Veja também:

link Lula faz apelo contra dengue a prefeitos e governadores

O resultado mostra que, dos 370 municípios que já realizaram o levantamento, 24 têm risco de surto, o que significa que em mais de 4% das residências pesquisadas foram registradas larvas do mosquito. Entre as cidades com risco de surto estão duas capitais, Rio Branco (AC) e Porto Velho (RO).

Das cidades pesquisadas, 154 estão em situação de alerta. Em entre 1% e 3,9% das casas visitadas foram encontradas larvas do mosquito. Quatorze capitais estão nessa situação: Salvador (BA), Cuiabá (MT), Palmas (TO), Rio de Janeiro (RJ), Maceió (AL), Belém (PA), Recife (PE), Goiânia (GO), Aracaju (SE), Manaus (AM), Boa Vista (RR), Fortaleza (CE), Vitória (ES) e Natal (RN).

Dos 370 municípios visitados, 192 têm menos de 1% das casas com focos de larvas do Aedes aegypti, situação considerada satisfatória pelo Ministério da Saúde.

 

Nessa classificação, encontram-se dez capitais: São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Macapá (AP), São Luís (MA), Teresina (PI), João Pessoa (PB), Campo Grande (MS), Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC).

O LIRAa permite identificar onde estão concentrados os focos do mosquito em cada município, além de revelar quais os principais tipos de criadouros por região.

 

O Ministério da Saúde afirma que os resultados reforçam a necessidade de intensificar imediatamente as ações de prevenção contra a dengue, em especial nos municípios em risco e em alerta.

Mais conteúdo sobre:
saúde dengue surto Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.