Arte sobre foto de Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/via REUTERS
Arte sobre foto de Alissa Eckert, MS; Dan Higgins, MAM/CDC/via REUTERS

Brasil tem 2.659 mortes pela covid-19 em 24h; março já teve mais óbitos que fevereiro

Média semanal de vítimas bate recorde pelo 20º dia consecutivo no País; várias regiões relatam colapso de hospitais e fila de espera por leito

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2021 | 20h03

O Brasil registrou 2.659 novas mortes pela covid-19 nesta quinta-feira, 18, e em apenas 18 dias do mês de março já superou todas as vítimas de fevereiro, que já tinha registrado aumento da curva de óbitos pela doença. A média semanal de vítimas, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, bateu recorde pelo 20º dia consecutivo e ficou em 2.096 nesta quinta-feira, 18.

Com transmissão descontrolada do vírus, o País tem visto o colapso de várias redes hospitalares, com morte de pacientes na fila por leito e falta de remédios para intubação. Governadores e prefeitos têm recorrido a restrições ao comércio e até ao lockdown para frear o vírus. Já o presidente Jair Bolsonaro continua como forte crítico das medidas de isolamento social, recomendadas por especialistas, e afirma temer efeitos negativos na economia. Nesta quinta, Bolsonaro questionou, sem provas, os dados de ocupação de UTIs covid e insinou que são considerados pacientes de outras enfermidades. As Secretarias de Saúdedivulgam diariamente dados específicos do novo coronavírus, com taxas relativas à ocupação de leitos voltados para a doença.

O número de mortes vem batendo recorde no Brasil e se em todo o mês de fevereiro foram registradas 30.484 óbitos pela covid. Em somente 18 dias de março, esta marca já foi batida e alcançou 32.777 na soma até o momento. Especialistas apontam que no mês de abril pode ser ainda pior e a pandemia se aproximar da triste marca de 4 mil mortes diárias por coronavírus.

Nesta quinta-feira, o número de novas infecções notificadas foi de 87.169 - ficaram de fora os números do Rio Grande do Norte, não divulgados até a publicação deste texto. No total, o Brasil tem 287.795 mortos e 11.787.6oo casos da doença, a segunda nação com mais registros, atrás apenas dos Estados Unidos. Os dados diários do Brasil são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h. Segundo os números do governo, 10.399.432 pessoas estão recuperadas.

O Estado de São Paulo registrou nesta quinta-feira 659 mortes por coronavírus, sua segunda pior marca em toda a pandemia. Outros oito Estados também superaram a barreira de 100 óbitos no dia: Rio Grande do Sul (298), Minas (274), Paraná (191), Goiás (180), Bahia (153), Santa Catarina (126), Ceará (119) e Rio (109).

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Nesta quinta-feira, o Ministério da Saúde informou que foram registrados 86.982 novos casos e mais 2.724 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, segundo a pasta, são 11.780.820 pessoas infectadas e 287.499 óbitos. Os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.