Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
REUTERS/Amanda Perobelli
REUTERS/Amanda Perobelli

Brasil tem 3.647 mortes por covid-19 em 24 horas e abril já registra mais de 27 mil óbitos

O total de vítimas da pandemia é de 348.934, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. A tendência indica que em poucos dias abril deve passar a ser o segundo mês mais letal da pandemia

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2021 | 20h02

O Brasil registrou 3.647 novos óbitos pela covid-19 nesta sexta-feira, 9, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. A média móvel diária de mortes, que leva em consideração dados dos últimos sete dias, chegou a 2.938, voltando a se aproximar de 3 mil como ocorreu no fim da semana passada. O total de vítimas da pandemia é de 348.934. 

O início de abril tem mantido o alto patamar de casos e mortes pelo novo coronavírus. Nos nove primeiros dias do mês, 27.048 mortes foram registradas, número que chega a ser superior a meses inteiros como setembro, outubro, novembro e dezembro do ano passado. A maior marca entre esses quatro meses foi em setembro, com 22,3 mil vítimas. A tendência indica que em poucos dias abril deve passar a ser o segundo mês mais letal da pandemia e poderá superar a marca recorde de março

Mortes por covid-19 por mês no Brasil

  • Março (2020) -   202
  • Abril  - 5.804
  • Maio  - 23.335
  • Junho -  30.315
  • Julho  - 32.912
  • Agosto  -  28.947
  • Setembro  - 22.371
  • Outubro  - 16.016
  • Novembro - 13.263
  • Dezembro -  21.811
  • Janeiro (2021)  - 29.558
  • Fevereiro  -  30.484
  • Março -  66.868 (recorde)
  • Abril (até o dia 9) - 27.048

O Estado de São Paulo registrou 7 mil mortes até aqui em abril, mil delas nas últimas 24 horas. Pelo menos 591 serviços municipais de saúde de cidades paulistas estão com os estoques de bloqueadores neuromusculares zerados e os sedativos estão em falta em 342 serviços. Os dois medicamentos são essenciais para a intubação de pacientes. O governador João Doria (PSDB) decidiu abrandar as medidas de restrição a partir da próxima segunda-feira.

 


Os dados diários nacionais são do consórcio de veículos de imprensa, formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde. Nas últimas 24 horas, foram registrados 89.090 novos casos da doença, totalizando 13.375.414 diagnósticos confirmados. Segundo o Ministério da Saúde, o País tem 11.791.885 pessoas recuperadas e 1.232.571 em acompanhamento médico. 

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), deve instalar na próxima semana uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar a gestão do governo federal sobre as medidas de combate à covid-19. A medida foi decidida após ordem do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal. 

Consórcio reúne dados desde 8 de junho

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Tudo o que sabemos sobre:
Ministério da Saúdecoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.