Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
TABA BENEDICTO / ESTADAO
TABA BENEDICTO / ESTADAO

Brasil tem segundo dia com mais de 4 mil mortes por covid-19 em 24 horas

País registrou 4.190 novos óbitos pelo coronavírus nesta quinta-feira, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. Total chegou a 345.287

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2021 | 20h01

O Brasil registrou 4.190 novas mortes em decorrência da covid-19 nas últimas 24 horas, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. O número é equivalente a 174 mortes por hora. É a segunda vez que o País supera a marca de 4 mil vítimas em um único dia, patamar que também foi atingido na terça-feira, 6, quando foram registrados 4.211 óbitos. O total de mortes na pandemia chegou a 345.287. 

Os dez maiores registros diários de morte por covid-19 no Brasil

  1. 06/04/2021    - 4.211 (recorde)
  2. 08/04/2021 - 4.190
  3. 31/03/2021    - 3.950
  4. 07/04/2021   -  3.733
  5. 01/04/2021    - 3.673
  6. 30/03/2021   -  3.668
  7. 26/03/2021    - 3.600
  8. 27/03/2021    - 3.368
  9. 23/03/2021    - 3.158
  10. 02/04/2021    - 2.807

Os dados desta quinta-feira, 8, mostram a continuidade da curva ascendente de vítimas no País ao longo dos últimos dois meses. Os registros nacionais das últimas 24 horas sofreram influência do alto volume de mortes em São Paulo, que registrou a segunda pior marca da pandemia: 1.299 novas mortes. Estados como Minas (492), Rio (375) e Paraná (374) também tiveram um patamar alto de mortes pelo novo coronavírus. 

A média móvel diária de vítimas no País chegou a 2.818, número que se mantém acima de 2 mil desde o dia 17 de março. A média usa dados dos últimos sete dias para melhor captar a tendência da variação dos registros. Ao longo da última semana, 19.728 pessoas morreram em decorrência da doença nas cidades brasileiras, ritmo que pode fazer com que abril seja um mês ainda mais letal do que foi março, recorde da pandemia. 

 


Os dados diários nacionais são do consórcio de veículos de imprensa, formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde. Nas últimas 24 horas, foram registrados 89.293 novos casos da doença, totalizando 13.286.324 diagnósticos confirmados. Segundo o Ministério da Saúde, o País tem 11.732.193 pessoas recuperadas e 1.202.639 em acompanhamento médico. 

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quinta-feira (8) que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), instaure a “CPI da Covid”, que mira ações e omissões do governo Jair Bolsonaro no combate à pandemia. A Corte também decidiu nesta quinta-feira, por 9 a 2, que prefeitos e governadores podem proibir a realização presencial de missas e cultos em um esforço para evitar a propagação da covid-19 no País.

Consórcio reúne dados desde 8 de junho

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.