Brasil terá maior campanha de vacinação do mundo

Ministério aproveitará 2ª etapa da vacina contra polio para iniciar campanha contra rubéola

Angela Lacerda, de O Estado de S. Paulo,

11 de julho de 2008 | 18h31

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, anunciou nesta sexta-feira, 11, no Recife, que será adotada uma "logística de guerra" para a realização da maior campanha de vacinação do mundo, dia nove de agosto, no Brasil, quando se aproveitará a segunda etapa da vacina contra poliomielite para dar início à campanha de vacinação contra rubéola. A ação contra a rubéola - doença de transmissão respiratória - será mantida por cinco semanas, até o dia 12 de setembro e terá observadores internacionais. "A campanha tem importância para o mundo", observou o ministro. A meta é vacinar 70 milhões de brasileiros contra caxumba, sarampo e rubéola - além do pólio para crianças de até cinco anos - através da Dupla Viral (sarampo e rubéola) na faixa etária entre 20 e 39 anos. Somente nos Estados do Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte, será feita imunização com a Tríplice Viral (que também inclui vacina contra caxumba) para quem se encontra na faixa etária dos 12 aos 19 anos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), há 110 mil novos casos de rubéola congênita (transmitida de mãe para filho) no mundo por ano - 17 deles no Brasil. Os números da rubéola no Brasil atingiram, no ano passado, 8.156 casos em 20 Estados brasileiros, principalmente nas regiões Sudeste, Sul, Nordeste e Centro-Oeste. Setenta por cento dos casos confirmados ocorreram no sexo masculino e a faixa etária mais acometida foi entre os 20 e 34 anos de idade. "Vacinação virou um programa de família" será um dos motes da campanha que envolverá mais de 750 entidades na mobilização da ação preventiva e terá investimento de R$ 220 milhões do governo federal. Para atrair a população jovem masculina a estratégia de mídia aproveitará os esportes - especialmente futebol - com atletas ajudando na campanha. Os adultos jovens só precisam se vacinar uma única vez. Quem já teve rubéola também deve se vacinar. A ação está inserida no compromisso firmado na 44. Reunião do Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) de eliminar, até 2010, a rubéola e a Síndrome da Rubéola Congênita (SRC).

Tudo o que sabemos sobre:
saúdetemporãorubéola

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.