Brasil terá seis laboratórios para testar vírus H5N1

Em até dois meses, o Brasil terá seis laboratórios com tecnologia para diagnosticar o vírus da gripe aviária, H5N1, em apenas três horas a partir do recebimento da amostra. Os Laboratórios Nacionais Agropecuários (Lanagros) escolhidos ficam em Belém (PA), Concórdia (SC), Recife (PE), Pedro Leopoldo (MG) e Porto Alegre (RS), além de Campinas (SP), hoje o único já equipado. Os outros cinco receberão equipamentos de diagnóstico molecular por PCR, ou reação em cadeia da polimerase, que analisa o DNA do vírus com sensibilidade de 98%. A providência faz parte do plano de contingência do Ministério da Agricultura e visa, em princípio, ao caso de aves, e não humanos, serem contaminadas no Brasil. O investimento é de R$ 37 milhões, disse Ariel Mendes, professor da Unesp e vice-presidente da União Brasileira de Avicultura. Ele participou ontem de uma reunião na sede da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), quando a possibilidade de a gripe aviária atingir o Brasil foi discutida por especialistas. Durante o encontro, o virologista Edison Luiz Durigon, da USP, disse que o Brasil deve se preparar para a doença, mas espera que ela apareça com uma forma menos perigosa da que corre atualmente na Ásia e Europa. Ele também explicou que a estratégia da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que, em caso de transmissão entre humanos, o que desencadearia a pandemia, o vírus seja contido por alguns meses, até que o mundo esteja preparado para enfrentá-lo com vacinas. Pessoas e regiões contaminadas seriam colocadas em quarentena. Ontem, a OMS concluiu uma reunião de três dias com os maiores especialistas do mundo sobre esse plano de contenção, que está agora próximo de ser concluído. "A pandemia será um grande problema, mas se trabalharmos juntos podemos ter alguma chance", afirmou Margaret Chan, responsável da OMS pela estratégia contra a gripe. O plano final ficará pronto até meados do mês e será distribuído aos governos. Colaborou: Jamil Chade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.