Sebastiao Moreira/ EFE
Sebastiao Moreira/ EFE

Brasil volta a registrar mais de 900 mortes por covid-19 em um dia

Média móvel de óbitos ficou 667 nesta terça-feira; foram registrados 44.849 casos nas nas últimas 24 horas

Andreza Galdeano, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2020 | 20h17
Atualizado 16 de dezembro de 2020 | 00h27

A média móvel de mortes por covid-19, que registra as oscilações dos últimos sete dias e elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana, ficou em 667 nesta terça-feira, 15. Segundo o consórcio de veículos de imprensa, foram registrados 915 novos óbitos nas últimas 24 horas e 44.849 casos.

No total são 182.854 mortes registradas e 6.974.258 pessoas contaminadas no Brasil, segundo o balanço mais recente do consórcio formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde. Os dados foram divulgados às 20h. 

O País assiste a um novo aumento de casos, internações e mortes por covid-19 nas últimas semanas. Hospitais de diferentes Estados têm notado a nova alta na demanda por leitos, como no Rio de Janeiro. Tanto na capital fluminense como no Estado de São Paulo, novas medidas de restrição de circulação de pessoas foram adotadas na tentativa de frear a aceleração. Apesar desse cenário, o presidente Jair Bolsonaro definiu o atual momento como o "finalzinho da pandemia"

O Estado de São Paulo, que apresenta os maiores números absolutos do País, superou a marca de 15 mil óbitos e chegou a 450.268 casos confirmados do novo coronavírus. De acordo com balanço da Secretaria Estadual da Saúde, 6.067.862 pessoas se recuperaram da doença.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 65,8% na Grande São Paulo e 60,2% no Estado. O número de pacientes internados é de 11.204, sendo 6.345 em enfermaria e 4.859 em unidades de terapia intensiva.

 

Consórcio dos veículos de imprensa

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Nesta terça-feira, o Ministério da Saúde informou que foram registrados 42.889 novos casos e mais 964 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, segundo a pasta, são 6.970.034 pessoas infectadas e 182.799 óbitos. Os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.