Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Silvio Avila/AFP
Silvio Avila/AFP

Brasileiros de 40 a 49 anos são faixa etária com maior aumento de casos de covid, diz Fiocruz

Mortes entre jovens também foi mais alta do que o crescimento global de óbitos pela doença; maior exposição ao vírus no trabalho ou no lazer, além da vacinação dos idosos, ajudam a explicar tendência

Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2021 | 19h25

RIO - A pandemia de covid-19 segue rejuvenescendo seu perfil de infectados e vítimas no Brasil, segundo último Boletim do Observatório Fiocruz, divulgado nesta sexta-feira, 23. A faixa entre 40 e 49 anos teve o maior aumento de casos – a média semanal saltou de 400 na no início de janeiro para 5.095 no começo de abril – alta de 1.173, 75%. No mesmo período, o crescimento da média semanal de diagnósticos em todas as faixas etárias foi de 4.199 para 31.190 – 642% maior.

 

A comparação é entre a primeira semana epidemiológica deste ano (3 a 9 de janeiro) com a 14ª semana (4 a 10 de abril). O retorno ao trabalho e recreação inconsequente  seriam algumas das causas apontadas para explicar o fenômeno.

Na faixa de 20 a 29 anos, o crescimento da média de casos foi 127 a 1.074 (745,67%); no grupo de 30 a 39, saltou de 258 a 3.105 (1.103,49%). Nos grupos entre 50 a 59, o incremento foi de 543 a 6.422 (1.082,69%) e já entre os idosos houve aumento de 850 a 7205 (747,65%).

No caso das mortes, o aumento global no mesmo período foi de 1.598 para 8.461 (429,47% ). As mesmas faixas etárias tiveram aumento diferenciado: 20 a 29 anos (1.081,82%, de 11 a 130 óbitos), 30 a 39 (818,60%, de 43 para 395 mortes), 40 a 49 (933,33%, 84 a 868), 50 a 59 (845,21%, 146 a 1.380) e 60 a 69 anos (571,52%, 330 a 2216).

“É um aumento bem explosivo, tanto no total de casos quanto no total de óbitos”, diz o pesquisador Raphael Guimarães, membro do observatório. “Outra questão é que é um aumento diferenciado de acordo com a faixa etária. Um aumento em uma faixa  em torno de 1.000% é  grande e muito diferente do global. Significa que em alguma outra faixa está aumentando menos, para que nesta o aumento seja tão expressivo”, continua.

 

O perfil etário do paciente de covid internado em UTIs confirma essa tendência. Na primeira semana epidemiológica do ano, a proporção de pacientes com menos de 70 anos internados era de 52,74%. Já na 14ª semana, o porcentual subiu para 72,11%. Os números confirmam que a ocupação das UTIs por pessoas mais jovens vem aumentando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.