Mario Anzuoni/Reuters
Mario Anzuoni/Reuters

Britânicas abririam mão de anos de vida por corpo perfeito

Estudo mostrou que 16% das universitárias britânicas dariam um ano se pudessem ter o corpo no peso e nas formas que julgam mais adequados

estadão.com.br,

05 Abril 2011 | 17h16

SÃO PAULO - Uma pesquisa feita com universitárias britânicas revelou que as mulheres dão tanta importância para a aparência que seriam capazes de desistir de alguns anos de vida em troca do corpo perfeito. A pesquisa foi promovida pela entidade The Succeed Foundation, que combate distúrbios alimentares, e pela University of the West of England.

De acordo com os resultados, 16% das entrevistadas trocariam 1 ano de suas vidas se pudessem ter o corpo perfeito, 10% trocaria de 2 a 5 anos, 2% trocaria de 6 a 10 anos e 1% das mulheres ouvidas na pesquisa trocariam 21 anos ou mais de suas vidas pela aparência perfeita.

E não são apenas os anos de vida que elas trocariam por causa da obsessão com a aparência. Das entrevistadas, 8% trocariam uma promoção no trabalho e 9% trocariam o tempo que passam com suas famílias, enquanto 7% abririam mão da saúde se pudessem ter a aparência que julgam a adequada, no que diz respeito ao peso e formas.

Um dado importante para entender parte do problema diz respeito ao bullying, 46% das entrevistadas disseram que já foram ridicularizadas por causa da aparência. Um número alto de mulheres, 93%, revelou que teve pensamentos negativos em relação à própria aparência na semana anterior à pesquisa.

A insatisfação com o próprio corpo também mostrou que elas pensam bastante em cirurgias plásticas, sendo que 39% delas admitiram que se submeteriam a um procedimento cirúrgico se não precisassem se preocupar com os custos.

Entre as preocupações indicadas no estudo, o peso tem papel importante. Apenas 3% das universitárias disseram que queriam ganhar peso, já a taxa daquelas que achavam que precisavam emagrecer atingiu 79%.

Com base nos resultados de oito anos de estudos sobre o assunto, o The Succeed Foundation e a University of the West of England promoverão uma programa de valorização da aparência no próximo fim de semana em várias universidades da Grã-Bretanha. A participação das próprias universitárias será ativa na divulgação de dados que possam ajudar as mulheres a se sentirem melhor em relação ao próprio corpo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.