Britânicos descobrem gene que pode evitar câncer de pulmão

A descoberta pode ajudar os cientistas a desenvolver técnicas de detecção antecipada da doença

Efe

02 de dezembro de 2008 | 20h26

Cientistas da Universidade de Nottingham, na Inglaterra, descobriram um gene que pode proteger as pessoas do câncer de pulmão, um dos mais freqüentes e mortais por geralmente ser diagnosticado tardiamente. A descoberta deste gene, publicada na última edição da revista Proceedings of the National Academy of Sciences, pode ajudar os cientistas a desenvolver tratamentos e técnicas de detecção antecipada da doença. O gene, pertencente ao cromossomo 3, protege o corpo humano do câncer de pulmão e se desativa quando esse tumor se desenvolve. A equipe de pesquisa, liderada por Tyson Sharp, chegou a esta conclusão após comparar tecidos pulmonares sãos com os com células cancerígenas. Nessa análise, foi descoberto que o gene LIMD1 faltava na maioria das mostras com tumores. Para constatar que a perda ou desativação do gene está relacionada com o desenvolvimento do tumor pulmonar, uma equipe de cientistas americanos liderada por Greg Longmore modificou o genoma de ratos de laboratório de modo que não tivessem esse gene. Como conseqüência, os animais desenvolveram o tumor. Segundo a Fundação Britânica Pulmonar, que financiou a pesquisa, nove de cada dez casos de câncer de pulmão são conseqüência do tabaco. Como é um tumor que não pode ser localizado até períodos avançados, 80% dos pacientes morrem ao longo dos 12 meses depois do diagnóstico da doença. A equipe de pesquisa acredita que sua descoberta deve contribuir para desenvolver novos tratamentos contra o câncer e técnicas efetivas de detecção do tumor.

Tudo o que sabemos sobre:
câncersaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.