Cabral faz coro a Temporão e culpa Maia por epidemia no Rio

Governador atribuiu falhas no trabalho de prevenção à dengue à administração municipal carioca

Jacqueline Farid, Agência Estado

25 de março de 2008 | 10h49

O governador do Rio, Sérgio Cabral, admitiu nesta terça-feira, 25, que há uma epidemia de dengue na cidade do Rio de Janeiro, e atribuiu a responsabilidade da crise de saúde à administração municipal. "Há uma epidemia na cidade, a população precisa ser assistida e não vamos acompanhar de braços cruzados", afirmou o governador.   VEJA TAMBÉM  Especial - A ameaça da dengue Para governo, dengue cresce no Rio por falta de agentes Dengue atinge status de epidemia no Rio   Ele listou todas as providências que estão sendo tomadas pelo governo do estado com a ajuda do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil e citou as tendas de atendimento de hidratação que estão sendo espalhadas pela cidade. "Esse é um trabalho importante para suprir um trabalho de prevenção que não foi feito", disse Cabral.   O governador argumentou que há crises de dengue no Rio "há mais de doze, treze anos", e afirmou que o trabalho para combatê-la "é um trabalho de formiguinha que os municípios têm que fazer o ano inteiro. Nas cidades onde há Programas de Saúde de Família não temos tido problema". Segundo Cabral, na cidade do Rio, há menos de 5% de cobertura desse Programa de Saúde da Família que, segundo ele, tem que ser permanente.   Cabral respondeu à indagação de uma jornalista, se as providências contra a dengue não estariam sendo tomadas muito tarde, que "não vamos chorar o leite derramado. Vamos trabalhar e tenho certeza que essas ações de emergência vão enfrentar o problema, de forma séria e consistente". Cabral participa de Fórum Rio de Mudanças Climáticas Globais na sede da Firjan.

Tudo o que sabemos sobre:
dengueSérgio Cabral FilhoCesar Maia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.